Confrades e confreiras que participaram das Antologias CAPPAZ  -  2019 / 2020 - iniciais D / E / F 

DAVID DE CARVALHO.jpg

David de Carvalho
Antologia CAPPAZ 2020


 

Sou Professor, Pesquisador Associado da ABRAFP – Associação Brasileira de Filosofia e Psicanálise, poeta e escritor de contos e terminando de escrever um livro de ficção.

Afilhado de Vera Passos
Confrade Efetivo.

Chuva na ponta da areia
David de Carvalho

Como lágrima triste da morena,
É lamento cantado dos amantes,
Uma suplica chorosa de saudade.
Como o mundo jogado sob o chão!
Como lacrimejar desesperado,
Boca seca a espera da vontade,
Expectativa de fatos consumados.
É um copo que se quebra atirado
Como corpo jogado sob a cama.
O pensamento vai longe desatinado
A procura de um porto protegido,
Que esconda a dor de minha saudade.
Molhe a ponta da língua afiada,
Amansando a fúria dos desejos,
Abrandando o barulho enlouquecido,
Abaixando a poeira que levita
Como gotas caídas pelo chão.
Como a água no olhar dos desvalidos.
Que retira a aridez dos sentimentos,
Que acaba a secura desta gente
Com desejos que invadam o sertão.
Como a luz que se olha equidistante
Devaneios de sonhos acordados,
Ilusões de um louco violento,
Declamando poemas pelos ares
Com voz firme e palavras alinhadas:
- “Tá chovendo na ponta da areia!
É o céu derramando-se na areia
É o choro o desejo de uma vida
É o lamento é o som desesperado.
São as águas que lavam minha alma,
Como lágrimas que vertem dos meus olhos,
Como chuva na ponta da areia”.

FOTO DEOMÍDIO MACÊDO -10.jpg

Deomídio Macêdo
Antologia CAPPAZ 2020 / 2021

Deomídio Neves de Macêdo Neto, nome artístico: Deomídio Macêdo, natural de Guanambi - BA, ator DRT nº 2274/2000, inscrito no Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado da Bahia. Administrador; pós-graduado Lato Sensu MBA em Gestão Pública - Desenvolvimento e Economia Regional pela Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia - FUNDACE.

Ator / poeta / declamador / escritor / músico/clarinetista.

Livros publicados: Homem Nu Vestido de afeto ( Romance);

Natureza, Divino Amor (Poemas);

Alameda do Bosque Azul (romance inspirado pelo espírito Américo Zier);

Vidas entrelaçadas (Romance inspirado pelo espírito Américo Zier);

 

Sócio Correspondente da Academia Guanambiense de Letras.

Diretor de Comunicação Social e Cultura na Web da Confraria Artistas e Poetas pela Paz – CAPPAZ.

Afilhado de Kedma O´liver

Confrade efetivo

O divino concerto
Deomídio Macêdo

Luz, câmara, ação.
É o Divino amor,
o anjo da paz,
jorrando energias,
sorrindo pra gente,
dizendo que somos:
CAPPAZes
de sermos felizes,
AMANDO!

EDA THEREZA PICCININ BRIDI.jpg

Eda Thereza Piccinin Bridi
Antologia CAPPAZ 2020

Residente em Sobradinho/RS. Pedagoga, Inspetora de Ensino Estadual, aposentada. Participação em: VERTENTES - Academia Centro Serra de Letras-2011, CONSTRUTORES DE HISTÓRIADE FAMÍLIAS ITALIANAS DO BR-2012 e ANTOLOGIA INTERFACES DE AMOR E PAZ Vol. 3 – 2012. Colunista do Jornal Gazeta da Serra com a Coluna Letras & Fatos. Publicações no Portal dos Vales e no Blog da Casa da Cultura de Sobradinho. Colaboradora do Jornal “Il Mondo Italiano”, POA.

Afilhada de Joyce Lima Krischke
Confreira Honorária.

Meu tesouro
Eda Bridi

 

CRISTINA
Carinhosa e delicada menina
Razão primeira de me tornar avó
Inteligente, estudiosa e determinada
Sabe onde quer chegar
Talento não lhe falta
Intuição também não
Na universidade vai se formar e
Alçar altos voos, num grande patamar

EDUARDO
Estudioso menino gosta de História
Disserta também sobre filosofia
Um crítico da política e da economia
Argumenta tudo com convicção e
Retórica
Do futebol faz sua diversão
O segundo é dos netos na “hierarquia”

LETÍCIA
Letícia, sinônimo de alegria
Estrela a brilhar
Tecla de piano a tocar
Inteligente, graciosa menininha
Corre em busca de seus sonhos
Ideais quer concretizar
Ama a vida! Assim é minha netinha

CRISTINA E LETÍCIA
Filhas da primogênita Regina e Márcio
EDUARDO
Filho do caçula Paulo e Elisângela
Nossos filhos, nossos netos
Um tesouro
Um presente do céu
Em nossas Bodas de Ouro
Com amor e paz no coração
Contemplamos Jacy e eu
A felicidade de nossa união

“Vossos filhos não são vossos filhos”
Diz Khalil Gibran
Educamos para o mundo
Com a nossa bênção
E amor profundo
Como gaivotas a voar
Sobre vales e montanhas
Vão conquistando seu espaço
Para seus sonhos realizar
E no curso da vida
De geração em geração
Seja sempre transmitida
A mensagem de paz, bem e luz!

Nos caminhos de minha doce vida
Encontro muitos anjos...
Anjos artistas, anjos poetas
Anjos do amor, anjos da paz
Entre um “milhão” de anjos amigos
Encontrei os anjos amigos da CAPPAZ

EDVALDO NUNES DA SILVA FILHO.jpg

Edvaldo Nunes
Antologia CAPPAZ 2020

FORMAÇÃO ACADÊMICA
- Engenheiro Mecânico e de Segurança do Trabalho – UFPB (CREA Nacional 1605171328)
- Mestre em Engenharia da Produção – UFPB
- Bacharel em Direito (OAB – PB nº 11.126)

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL
- Perito Judicial Trabalhista (com atuação em João Pessoa e Campina Grande);
- Presidente da Comissão Municipal de Insalubridade de João Pessoa – PB;
- Professor Universitário do UNIPÊ no Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho (João Pessoa – PB
- Professor Universitário na Faculdade Anglo Americana no Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho (Campina Grande – PB.

Afilhado de Roseleide Farias e Fátima Peixoto
Confrade Efetivo.

O canto livre do pássaro
Edvaldo Nunes


Adotei um pássaro cantador
E o criei sem horas e sem rédeas
Nos meus lugares de acesso à paz,
Solto, solto,
Preso tão somente, imagine,
Pela minha vontade de vê-lo solto.

Mas para quem cantam os pássaros?
Mas para quem canta este meu?

Esse seu canto aberto, livre, sem gaiola,
Comodamente adentra no meu coração,
Repetindo as notas de uma possível viola,
Regida fielmente por uma densa paixão.

Existem essas notas por um amor,
O de uma mulher,
Afinadas com o canto de Deus
E que vangloriam os meus ares,
Os meus ares que um dia vi espalhados
Assim, por folhas frágeis,
Que, quando balançadas ao vento,
Nada me mostravam.
Assim, nada sabia.

É um proceder sereno, livre e bonito,
Que em magia se envolve,
Onde não ouso entender,
Apenas deixo fluir.

De onde vem isto,
Que me faz voar tão nítido
Num canto suave de um pássaro livre?

De onde vem essa riqueza,
Que me faz ter e ver
O pássaro, o canto, a árvore, o vento,
Uma mulher, o prazer?

 

EMERITA ANDRADE RAMOS.jpg

Emérita Andrade Ramos
Antologia CAPPAZ 2020

Uma mulher guerreira, forte, oriunda do sertão baiano (Jaguaquara, 21/04/44). Foi militante política e por esse motivo abandonou o curso de Teatro da UFBA em 1964, só retornando à Bahia em 1975. Também é artista plástica. Emérita tem participações em antologias por todo o Brasil. É membro da ACB – Academia de Cultura da Bahia, da UBE – União Brasileira dos Escritores e do Movimento Cultural Artpoesia, de Salvador, Bahia, cidade onde reside.

Afilhada de Vera Passos
Confreira Efetiva.

Retirada
Emérita Andrade Ramos

Longe corre, na campina,
Um pobre animal sozinho
Quando o sol desenha rendas
Enfeitando o seu caminho...

A savana empobrecida,
Triste, só e espezinhada,
Esquecida no silêncio,
Suportando a retirada...

Quem me dera, primavera,
Do sertão fazer pomar,
Com milhares de sementes
E com chuva regular...

Quem me dera mel, ó abelha...
Quem dera a força da fera...
As quimeras, ai quem dera,
Quem dera, dera, ai quem dera...

FÁTIMA MARIA DO NASCIMENTO PEIXOTO.jpg

Fátima Maria do Nascimento Peixoto
Antologia CAPPAZ 2020

Sou, natural de Olinda,PE, Pedagoga com especialização em Psicopedagogia e Gestão Escolar, atualmente gestora da Escola Estadual Imaculada Conceição.
Sócia Fundadora da Associação Cabedelense de Escritores e Poetas desde 2008,seus trabalhos já foram publicados nos Jornais da cidade Jornal A Tribuna, Jornal, O Povo, Jornal Soltando O Verbo, prefaciou o livro Gemas do Pensamento ano 2008, texto publicado na Revista A Semana e no Recanto das Letras, participação na antologia "Quando nasce a poesia".

Afilhada de Flávio Martinez
Confreira Efetiva.

A vida passa ou passamos por ela?
Fátima Peixoto

Cada dia, mais um dia...
Ficamos sonhando, planejando dias diferentes,
Mas no final todos iguais.
É assim a vida.

Não sabemos o que vem pela frente
Ficamos torcendo que sejam realmente iguais
Só assim não teremos atropelos
E podemos seguir em frente sem preocupações,
Sem reflexões, sem muitas observações...

A vida está passando
Ou estamos passando pela vida.?
Viver já é uma benção,
Poder respirar, falar, ouvir, ver, sentir...
Não importa que a vida passe ou você passe por ela,

O importante é fazer parte e participar dela,
Viva e deixe sua marca,
Escrevendo poesias, prosas, frases, contos, crônicas...
Deixando uma palavra de carinho,
Para quem passar cruzando seu caminho.