Confrades e confreiras que participaram das Antologias CAPPAZ  -  2020 - iniciais   A   /   B   /   C

FOTO DE ADIR.jpeg

                         

Reside em Florianópolis, nasceu em Lauro Müller, SC, em 8 de julho de 1952. Filho de Walfredo Pacheco e Maria Dejalmira Pereira Pacheco. Casado com Rosane Mara Santana Pacheco. Militar da reserva do Exército, músico, poeta, contista e cronista. Graduando em Direito - Universidade Estácio de Sá. Homenageado com a outorga de muitas comendas, títulos, diplomas e premiações, sendo os mais destacados:
-Medalha de Honra ao Mérito “ A Castanheira”, Exército Brasileiro
-Título, Dr. Honoris Causa/Literatura - Centro Sarmathiano de Altos Estudos Filosóficos e Históricos, Rio de Janeiro, RJ.
-Comenda Nelson Mandela, Grau/Comendador pelo Conselho Internacional de Escritores - CONINTER-Rio de Janeiro, RJ.
-Mérito Social e Cultural 2018
- Prêmio Caneta de Ouro 2018 – (FEBACLA)
- Medalha Mérito Acadêmico 2019
-Diploma Acadêmico Qualidade de Ouro 2019
Membro de várias Academias e instituições literárias, entre elas:
-Grupo de Poetas Livres (GPL) – Fpolis
-Membro fundador da “Academia Catarinense de Letras e Artes” (ACLA).
-Membro da Federação Brasileira das Academias de Ciências Letras e Artes (FEBACLA)– Rio de Janeiro, RJ.
-Membro da Academia Desterrense de Literatura (ADELITE). Florianópolis
-Membro da Academia Nacional de Ciências Letras e Artes, (ANACLA)
-Membro Internacional da Cultive – Association International D’Arte, Littérature Et Solidarité. – Genebra, Suiça.

Afilhado de Roseli Farias
Confrade Efetivo.

Adir Pacheco
Antologia CAPPAZ 2020

Expressivas visões
Adir Pacheco

...E a natureza despiu-se sobre a tela
Com a visão do artista ante a paisagem,
Descortinando a mais bela aquarela
Refletindo-se aos olhos em nobre miragem.
No colorido do quadro expressivo
Emanam cores de grandes relevâncias,
Demonstrada nos fatores imersivos
Que o artista explora com elegância.
E os anjos aplaudem com notória alegria
A paisagem brilhantemente emoldurada,
Consolidada na arte com maestria
Sublimando a natureza capturada.
É nessa instância de beleza configurada
Em que o artífice do universo nos afaga,
Anestesiando dores, feridas e chagas,
Com o bálsamo da paisagem apresentada.
E os olhos divinamente se embriagam
Harmonizando naturalmente o espírito,
Ante as visões expressivas que afagam
O viajante enclausurado entre conflitos

AÍLA MARIA DE BRITO SILVA.jpg

Aila Maria de Brito silva
Antologia CAPPAZ 2020

Sou, Aila Maria de Brito silva, natural de Cocal-PI. Graduada em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), e pós-graduada em Gestão e Docência do Ensino Superior pela Faculdade INTA (Instituto Superior de Teologia Aplicada). Trabalho atualmente na Prefeitura Municipal de Cocal – Secretaria de Agricultura e Vigilância Sanitária. Publico meus textos no site do Recanto das Letras e do Beco dos Poetas.

Afilhada de Diná Fernandes
Confreira Efetiva.

A marcha da Paz!
Aila Brito

A calma e o descanso, são desejados
O encontro consigo... O bem interior
Ainda vagueia por cuidados
[D’alma
Ébrios por desejos de concórdia
Seguem trilhas... Mórbidas, semimortas
Díscolos burlam as diretrizes
Risos cínicos cirzem o anseio
No peito velam... Ora bloqueiam
No papel branco, o verde se contrai...
Por fim, erguem a bandeira,
[altaneira!
E marcham... Imunes a cegueira,
Com o espírito iluminado...
Abrem as brancas asas...
Rompem máculas e insanidades.
Levam-nos a refletir... Em busca de ti,
Ó terna Paz! Assim, cada um de nós, é ser
[CAP(P)AZ!



 

ANTONIO CAVALCANTE ALBUQUERQUE.jpg

Antonio Cavalcante de Albuquerque
Antologia CAPPAZ 2020

Viúvo, mora em Manaus. Filósofo e professor de Filosofia. Tem publicado no Recanto das letras, algumas poesias e histórias. pelo menos três livros podem ser encontrados nas Livrarias Saraiva e leitura, também na página Antonio de Albuquerque no Facebook e Recanto das Letras.

Afilhado de Aila Brito
Confrade Efetivo.

Plantando
Antonio de Albuquerque

Tantos sonhos arraigados
No céu da memória plantei
Quantas vezes parei para ver
No espelho sua bela imagem
De sonhos amor e ternura

Semeando flores, entre tantas,
Encontrei uma rosa, mulher formosa
Era você enfeitada de doce encanto
E harmonia, misteriosa surgindo
Tecendo alegria no meu coração

Análoga ao aroma dos florais
Tangidos pela brisa da manhã
Sob os acordes de um violão,
Pintando aquarelas de arco-íris
Perfumada quais flores da primavera

Desvelei sua beleza e mansidão
Quando a brisa invadiu seu corpo
Vestindo o manto sagrado do amor
Entre belas flores de bouganviles
Te abracei com fervor, qual colibri na flor

Tingindo de carmesim a alameda,
Rosa galante formosa, bendita mulher
Quero você para acarinhar, cuidar
E situar no meu altar no vergel
Do céu dos meus sonhos de ternura

Da minha efêmera existência,
Tal a planta, o amor se renova
Em plena expansão do universo
Todo dia nasce o majestoso Sol
Em nós, promissores sonhos de Amor.

ANTONIO LUIZ MOREIRA DE OLIVEIRA.jpg

Antônio Luiz Moreira de Oliveira
Antologia CAPPAZ 2020

Conhecido como CARDOSO, sertanejo das terras de Itapeipu, sertão de Jacobina BA, cidade do ouro no Piemonte da Chapada Diamantina. Pai de cinco filhos, residente em Salvador, com formação em Tecnologia e Informática. É membro efetivo da Academia de Cultura da Bahia.
Escreve semanalmente para o Jornal Tribuna Regional de Jacobina BA.
Tem vários poemas premiados em concursos nacionais de poesia.

Afilhado de Vera Passos
Confrade Efetivo.

Paz assim
Cardoso

Quero PAZ e Harmonia
Nas veredas do infinito
Caminhando e carregando
Na mão, mente e coração
A bandeira da CAPPAZ
Para essência do viver
E a PAZ desabrochar
No corpo e na alma
Uma mochila do saber
Com Amor e Alegria
Matutando todo dia
Consciência e Sabedoria
Diversidade e Natureza
Nossa flora e nossa fauna
Sendo VIDA e a PAZ!
Cabeça e tronco do Brasil

ANTONIO ZANETTI JUNIOR.jpg

Antonio Zanetti Junior
Antologia CAPPAZ 2020

Nascido em Guarapuava – PR em 14 de outubro de 1957.
Casado com Maria Aparecida Neves Zanetti e pai de 9(nove) filhos.
Foi militar do Exército Brasileiro por 11 anos onde recebeu a Medalha de Bronze por destacados serviços e excelente comportamento por mais de 10 anos.
Também na carreira profissional, atuou em cargos de gerência em diversas empresas multinacionais e como consultor na área de administração industrial, atualmente, como empresário, administra 2(duas) empresas próprias.
Formado pelo Instituto de Tecnologia da Amazônia – Universidade Estadual do Amazonas, como Tecnólogo Superior em Engenharia da Madeira é pós-graduando em Psicanálise Freud-Lacaniana pela Associação de Psicanálise de Itajaí, do qual é também Membro Fundador.
Já atuou como comunicador radiofônico e escritor de artigos para jornais institucionais.
Atua como palestrante motivacional e Instrutor de Cursos e Treinamentos em diversas áreas.
No âmbito cultural escreve poesias, poemas, prosas e outras narrativas. Admira a música, o teatro, o canto, a dança, o cinema, a boa leitura, a pintura, a fotografia e todas as expressões da verdadeira arte.
Autor do livro Floresias no contexto de poemas e poesias, ainda no prelo.
Ama a família, as crianças, os animais e a natureza como expressão da beleza e harmonia superiores.
Já gerenciou, como voluntário, um abrigo na rede de amparo à menores em situação de risco e atua na área de apoio social às comunidades carentes, procurando promover a valorização dos seres humanos como a principal ferramenta para o seu desenvolvimento multidimensional.

Afilhado de Cida Zanetti
Confrade Apoiador.

Chuva
Antonio Zanetti Junior

Gota à gota se emoldura
Suave canção aos meus ouvidos
De onde vem tanta ternura?
Que tanto agrada aos meus sentidos?

Brinda aos olhos com magia
Com gotas de cristais
Dançarinas de graça e simpatia
Em evoluções magistrais

Encanta o olfato com surpresa
O perfume da terra lhe traz
Também desliza o seu corpo com beleza
Delicada e sutil, ao tato satisfaz

Pela boca aberta de alegria
Evoca com doçura o paladar
onde a tristeza que sentia?
Onde o lamento, o penar?

Mao 14 de fevereiro de 2011.

B- - BRita BRazil- Marcia Brito (1).jpg

                           
 

ATRIZ//CANTORA/COMPOSITORA/POETA/Coreógrafa/Produtora
Registro atriz: 3734
Loira, olhos verdes, 1,68 cm
IDIOMAS (Fluentes): inglês e francês.
CURSOS:
1- Teatro Tablado.
Professores: Louise Cardoso, Sura Berditchewsky, Bernard Jablownsky e Maria Vohees (3 anos).
2- Curso de atores para TV com Wolf Maya (1987).
3- Take One Acting School - (Los Angeles- CA 1996).
4- Curso de Musicais pelo coreógrafo Caio Nunes (TV Globo 2003).
5- Curso Construção de Cenário (Luiz Fernando Lobo diretor de A Morte e Vida de Severina e a Missa dos Quilombos, outubro 2005).
6- Curso de canto: 8 anos Prof. Giannina di Capri.
7- Curso de dublagem Hamilton Fernandes 2001-2002).
8- Cursos de Dança:
Estilos: Contemporâneo, Clássico, Jazz, Flamenco, Sapateado, Afro, Moderno.
Rolland Duprée (US), Lauren Macklin (US), Grupo Coringa com Graziela Figueroa, Dalal Aschar, Carlota Portella, Mercedes Batista, Renato Vieira, Betina Guillman, Carlos Magno, Beth Olliose.
TEATRO:Aventuras de Tizinho (Direção Vital Filho-1983).
Balão Mágico (Maurício Sherman-1985).
Plumas e Paletós (Chico Anysio-1989).
Rapunzel (Cininha de Paula-1991).
Mulher Poema do Século (Cláudio Filiciano- 2002).
História da Nega Brita, monólogo poético Congresso de Poetas (Rio Grande do Sul, Cláudio Filiciano).
Flora Nordestina, a Heroína que não Aceita Propina (comédia dirigida pela mesma) (2006/7).
TV: Viva O Gordo (1978)
Chico City (1979)
Os Trapalhões (1980)
Fantástico (apresentadora, 1978),
Teletema Estrela do Mar (1979/1980),
Novela: Pacto de Sangue (1986)
Escolinha do Professor Raimundo (Flora Própolis) –1990-1994
Sitio do Pica Pau Amarelo (maio/junho 2005)- Direção Paulo Gelle.
A Turma do DIDI (setembro/outubro 2005)- Direção Guto Franco.
CINEMA: O Incrível Monstro Trapalhão (1983). Coadjuvante Joana.
BAILARINA:Registro:0420.
Scala Rio no show Golden Rio, coreografado por Antonio Negreiros (1985).
COREÓGRAFA: Coreografia contemporânea premiada no Ballet Dalal Aschar? (1986).
Coreografou o filme de produção americana Boca de Ouro, Zalman King(1988).

CANTORA/COMPOSITORA:
Registro Ordem dos Músicos: 3811.
Registro União Brasileira dos Compositores.
Compõe os ritmos: blues, xote, bossa, pop, samba, bolero, baião, hip-hop e jazz.
Tem dois CDs gravados Radical e Bossa Brasil, onde têm no seu verso elogios de Don Heckman (Los Angeles Times), Marcos Valle, Nelson Motta e Jards Macalé. Shows na Califórnia,95/98.
SHOWS: Rio: Bar Vinícius, Botequim Carioca, Café Laranjeiras, Havana Café, Bar do Tom, Parceria, Hipódromo Up, Les Artistes, Beco da Bohemia, Aloha Café.
Acaba de lançar show DECOLAGEM (LAPA-RIO) Varandas Gourmet (Agosto2007).
Brasília:AlphaPub (Hotel Bonaparte)
Búzios: Hotel Gallapagos Inn
Los Angeles: The Gig, Zambumba, M Bar (Long Beach), California Speed Way, The Hollywood Roosevelt Hotel, 14 Bellow, The Gate. Hollywood Lounge.

MODELO:
MODA: Top model :
Iniciou em 1970, fotografando para as primeiras revistas de moda brasileiras e manteve esta carreira por 15 anos.
Possui 11 books com 60 páginas cada de fotos impressas no Brasil e no mundo. Trabalhou por 2 anos na Europa, Inglaterra (Bobton´s), Itália (Fashion Model´s) e França (Paris Planning) de 1974/76.
PUBLICIDADE: Fez centenas de comerciais e anúncios publicitários nos anos 70/80: DeBeers, What a Tan, Coca-Cola, Mesbla, Du Loren,Sparta, Lojas Americanas, Dimpus, Hotel Glória, Imobiliária Santa Rosa, Fiorucci,Sapasso, Natu Nobilis, Tecidos Renaux, Adidas,
Badedas. Cigarros: Hollywood, Continental, Charm. Revistas: Desfile, Claudia, Mulher, Figurino, Cosmopolitan (Nova), Manchete, Femme Pratique, Abril Cultural, e todos os jornais cariocas.

PRODUTORA:
1) Produziu diversos shows de música, sendo o mais relevante o Brazilian Music Gathering em Los Angeles (1996), onde reuniu os maiores nomes da música brasileira residentes naquela cidade, para homenagear o radialista Sérgio Mielniczenko que comemorava 20 anos com seu programa na rádio KPFK 90.7 FM (LA- CA), onde sua música ainda é ouvida.
2) Documentário: Touched by an Alien, de Laurel Chiten (Rio-2001).
3) Produziu durante 1 ano para a Discovery International Channel (Inglaterra) o programa sobre cultura brasileira SEXO, MODA E ROCK'n ROLL, exibido 14, 21 e 28 de outubro 2003 pela People and Arts.
4) Documentário Pieces of Heaven, filmado no Rio (2003/2004) sobre música brasileira (Chorinho) dirigido por Sérgio Mielnizchenko.
5) Produtora executiva dos CDs: Azymuth, Sabrina e Batuque para a gravadora inglesa Far Out Records (jan/fev 2004).

POETISA:
XIII CONGRESSO INTERNACIONAL DE POETAS (Rio Grande do Sul- outubro2005).
SOCIAL: Diretora/Fundadora do CENTRO CULTURAL CRIANÇAS AFRO-ÍNDIO DO BRASIL. Rio de Janeiro. Educa 60 crianças: Inglês, yoga, meditação, Cultura Indígena, Eco.

Afilhada de Joyce Lima Krischke
Confreira Apoiadora.

BRita BRazil
Antologia CAPPAZ 2020

Consciência

Seja CAPPAZ de atrever
a sentir o amor
que você tem
por você

Seja CAPPAZ de aceitar
sua natureza interior
que sabe muito mais
do que você crê

Seja CAPPAZ de entender
o clamor dos rios poluídos, chorando
a ingratidão dos homens, marchando
criando armas, ao invés de pães.

Seja CAPPAZ de recriar a bondade
como antigamente,
no gesto diário,
abrindo uma porta, com um simples sorriso
pedindo licença, e agradecendo à ajuda.

Enfim, seja CAPPAZ de caminhar conosco,
os poetas da vida, pois somos todos iguais:
incapazes de viver
sem a incessante busca
da paz!

BRita BRazil- 24 junho 2008

CARLOS ALBERTO BARRETO.jpg

                     
Baiano de Ituberá, nascido a 28/06/1956. Mudou-se para a cidade de Nazaré, no Recôncavo Baiano, em 1964, onde fez o ensino médio em Administração de Empresas, em 1976.
Transferiu-se para Salvador em 1980. Teve uma vida agitada entre 1981-1990 para conciliar família/estudo/trabalho. Cursou Administração e Letras. Em fevereiro de 1997, participou do livro de poemas "Viração", uma coletânea com outros poetas, da Edit. Contemp.
Em novembro de 1997, foi finalista do 1º Festival Cultural do SEST-SENAT, em Simões Filho, com os poemas "A Magia do Terror" e "A Castro Alves".
Em outubro de 1998, finalmente lança o seu livro solo "Só... Reminiscências Poéticas" (Edit. CEPA, 104 páginas), no Gabinete Português de Leitura, com comentários elogiosos pela crítica literária especializada.
Em Março de 1999, em coligação com outros escritores, lança o livro "Salvador 450 Anos de Poesia" (Edit. Òmnira), em homenagem ao aniversário da mais velha capital brasileira.
Foi organizador e apresentador do livro "Artpoesia 2000 Versos, Frases & Desenhos", coletânea oriunda de concurso do mesmo nome, promovido pelo Movimento Artpoesia.
Em maio de 2001, teve o seu poema "Era um Tempo..." premiado com a Medalha de Ouro, no XXII Concurso Nacional de Poesias, promovido pela Revista Brasília, no Rio de Janeiro. Em novembro deste ano, foi também premiado no I Concurso de Poesias do Recôncavo, patrocinado pela Academia de Letras do Recôncavo e o Jornal "A Tarde", durante a realização da Fener - Feira de Negócios do Recôncavo, em Sto. Antônio de Jesus, Ba, com o trabalho "Poemaria".
Em outubro de 2002, já como integrante Grupo de Ação Cultural da Bahia - GACBA, participa da edição de estreia do "Cadernos de Literatura". Em julho de 2003, lançou, no Teatro do SESC, do bairro do Rio Vermelho, o segundo livro solo: "Tratado de Nostalgia" (Artpoesia, 108 páginas), completamente bancado e editado por ele.
O seu poema "Jogo Virtual" foi premiado no "XIII Concurso Nacional de Poesias Augusto dos Anjos", em Leopoldina, MG, em dezembro de 2004.
Realiza frequentemente várias atividades culturais, na Capital e no Interior do Estado (Academia de Letras do Recôncavo, seção de Nazaré, da qual é membro-fundador, ocupando a cadeira nº 25, cuja patronesse é a escritora Maria Augusta Bittencourt, 1890-1978). Atualmente é editor do Movimento Cultural Artpoesia, onde mantém uma revista periódica há mais de 12 anos.
Editorou, em 2006, os "Cadernos de Literatura", do GAC-BA. Editora também a Revista Anual da Sociedade Unificadora de Professores - SUP, instituição onde também realiza recitais e oficinas poéticas.
É verbete No Dicionário de Autores Baianos, da Secretaria de Cultura e Turismo do Estado da Bahia, 2006.
Em agosto de 2007 lançou o livro "Fogo-fátuo", com poesias quase todas simbolistas, numa clara alusão ao poeta Charles Baudelaire, um de seus poetas preferidos.
Em 2009 organizou e editorou a Coletânea "Artpoesia 10 Anos - Ecos Machadianos" homenageando o 10º aniversário do Movimento Cultural Artpoesia e o 100º aniversário de morte do escritor Machado de Assis.
Em 2010 organizou e editorou a Coletânea "Ecos Castroalvinos" homenageando os 140 anos da edição do livro "Espumas Flutuantes", de Castro Alves.
Em maio de 2010 foi homenageado na Biblioteca Pública Juracy Magalhães Jr., no bairro do Rio Vermelho, pelo Movimento Cultural Clarear, da poetisa Clara Maciel, pela valiosa contribuição na divulgação da cultura em nosso Estado.
Ainda em 2010 (setembro) participou do 1º ENEBI - Encontro de Escritores Baianos Independentes, realizado pelo Movimento Òmnira e com apoio da Fundação Pedro Calmon.
Em outubro de 2011, participou também do 2º ENEBI.
Realiza em Colégios e Seminários palestras com temas diversos: O Simbolismo no Brasil - A Profissão de Escritor - A Literatura Machadiana no Brasil - O Vôo do Condor (Castro Alves), etc.

Afilhado de Vera Passos
Confrade Efetivo.

Carlos Alberto Barreto
Antologia CAPPAZ 2020

Enlevo
Carlos Alberto Barreto

Arrebatou-me aqui, um instante feliz
No topo d’uma colina, no teto do mundo
Na imaginação, uma lousa sem giz
Deixando-me em deleite profundo.

À sombra de uma árvore, o deslumbrar
Dos cardeais cantando nos ninhos
a Orquestra da Natureza - fico a tinar:
- Meu Deus, como somos mesquinhos!

O fértil, a matriz - o motriz, o gerar
Fecundidade total - na mata, na serra
O Segredo da Vida - extasioso encantar
No topo da colina, no teto do mundo,
não existe ambição, fome ou guerra...
Existe só amor - abundante e fecundo!...

(do livro “Só...”, 1998)

CARLOS REINALDO DE SOUZA.jpg

Carlos Reinaldo de Souza
Antologia CAPPAZ 2020

                         
Médico, professor e acadêmico. Aparentemente calmo, procura conciliar as contradições entre seu mundo interior, romântico e solitário, e o universo exterior, eivado de realismo e carente de sonhos. Sonetista várias vezes premiado em concursos nacionais. Seu estilo é simples e romântico, às vezes, intimista. É Diretor Científico da Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafayette e Diretor de Cultura da União Brasileira de Trovadores – UBT, Regional de Conselheiro Lafaiete. Amante da poesia, participou das antologias Lafaiete em prosa & verso, volumes I a XIII; Felicidade em prosa & verso (ALBA, 2003). Foi o vencedor, em 2007, do Concurso Nacional Brasileiros em Prosa & Verso, na categoria soneto. Reside em Conselheiro Lafaiete.

Afilhado de Aníbal Albuquerque
Confrade Efetivo.

O poder da paz
Carlos Reinaldo de Souza

Ela está muito distante da Terra,
foi expulsa pelos seres humanos...
Essência que o filho de Deus encerra,
onde estás, ó PAZ, que tanto almejamos?

Sabemos que nos deixaste, humilhada.
Retorna, ó PAZ, transforma a escuridão
em luz, numa bela e tenaz cruzada,
trazendo o amor, o sonho e a mansidão!

Seja bem-vinda promessa bendita,
dá luz aos homens, ampara nações,
elimina a guerra, herança maldita!

De todos os homens, em um segundo,
convertei para sempre os corações.
PAZ, só tua luz ilumina o mundo!

CELESTE MARIA FARIAS.jpg

                    
Entre as suas habilidades e profissões, as que se destacam são: uma vasta experiência nas aéreas administrativo/financeira, educadora, pesquisadora, blogueira, palestrante, revisora, editora, poeta e escritora. A autora começou a escrever cartas, poemas e redações bem cedo, fez teatro em toda a sua adolescência e aos 19 anos já lecionava, porém somente em 2009 adentrou totalmente na vida literária. Isso ocorreu quando ela iniciou o curso na Faculdade de Letras e conheceu uma colega que se tornou uma grande amiga: a administradora, escritora e poeta Renata Rimet, que começou a levá-la para o “Projeto Fala Escritor”, apreciando ali, grandes, músicos, artistas, poetas e escritores, entre eles (muitos), conheceu e se encantou por Pinho Sanasc, Dr. Carlos Ventura e Valdeck de Jesus que se tornaram o seu referencial e incentivo para a escrita. Ao decorrer desses quase quatro anos, participou de vários eventos e projetos voltados para a literatura e para a nova educação, que a ajudou profundamente em seu desenvolvimento pessoal, profissional e em suas pesquisas educacionais. É membro da CAPPAZ – Confraria Artistas e Poetas pela Paz. O maior sonho da jovem escritora, poeta e sempre apaixonada Celeste Farias é ver o ser humano em sua totalidade, viver em harmonia, amor e paz.

Afilhada de Renata Rimet
Confreira Efetiva.

Celeste Maria Farias de Souza Dias
Antologia CAPPAZ 2020

A festa das letras
Celeste Farias

Dos números me cansei, já fui apaixonada, amei, gostei.
Do portal vi um novo horizonte se abrir e a letra matriarcal surgir. Acompanhada de alegria, consigo trouxe outras letras, frases, rimas, textos e poesias.

Fixamente me deparei com um jardim de lindas letras, rosas, cheirosas, saborosas, formosas.

Parei. E de tristeza ou saudade, dos cansáveis números lembrei que por muito tempo carreguei.
Me acompanharam na mente, no coração, nos dedos e na palma da mão.
Vivia com eles todos os dias, usei, abusei, cansei, enjoei.

Pausei. Ah!!! Acordei. E para a festa das lindas letras voltei.

CELSO CORRÊA DE FREITAS.jpg

Celso Corrêa de Freitas
Antologia CAPPAZ 2020

                        
Poeta, Escritor e Articulista.

Nascido em Itaperuna, RJ, aos 26 de agosto de 1954.
Membro da Casa do Poeta Brasileiro de Praia Grande-SP desde 26/08/2004 (entrei no dia do meu aniversário, foi um presente que me dei!) e seu Presidente até Março de 2010.
Reside em Praia Grande, onde ampliou sua família, desde fevereiro de 1996. Colaborador ativo nos jornais e demais meios de comunicações (Blogs e Sites) , através dos seus artigos e inserções. Sua classificação no 1º Concurso de Poesias Fernando Pessoa lhe permitiu participar da antologia "Poesia e Liberdade" que lhe abriu as portas para sua segunda antologia "Poesia e Amor" e sedimentou a sua posição no cenário poético com os livros "Poeta, Profissão: Homem","Destino em Transição" e a Antologia "São Paulo-450 anos em Prosa e Versos". Autor também dos livretos "SÍTIO DO CAMPO EM CORDEL" e "OS PORTAIS DE MIM" e colaborou no projeto educacional que gerou o livreto "OS POETAS DA EJA".

"E ai, as palavras, mostram aquilo que em mim busca sempre sobreviver...O meu pensamento latente que de repente exagerado explode dentro do meu ser, levando a minha opinião, até você".

Afilhado de Cida Micossi
Confrade Efetivo.

Madres de Dios
Celso Corrêa de Freitas

Belezas intrigantes
De realidades diferentes
Em faces púrpuras.
Devaneios dementes
Lançados as alturas
Por olhos salientes,
Despejando sonhos
Sobre saltos crescentes.
Que expõe a coragem,
De não estar e nem ser
E muito menos ter,
Mas sim se perder
Sobre o corpo ainda quente
De quem acabou de dar,
Um passo a frente.
Para atirar-se sobre o vazio imponente
Da primeira e inútil semente
Que insiste em brotar,
Nos ventres das Madres
De Dios... diariamente.

CIDA ZANETTI.jpg

                      Cida Zanetti                   
      Maria Aparecida Neves Zanetti

Antologia CAPPAZ 2020

                                     
Estou Cida Zanetti, nasci em Manaus-Am. Tenho 57 anos, casada, Bioterapeuta por formação. Psicanalista. Especialização em Terapia Transpessoal e Psicoterapia Reencarnacionista,entre outras. Atuo na área profissional como Psicoterapeuta. Sou comunicadora na radio Conceição FM com o Programa semanal Vez e Voz com Cida Zanetti. Estou presidente da Anacla Itajai (Anacla – Academia Nacional de Ciencias Letras e Artes), Palestrante Motivacional. Escrevi crônicas no Jornal Sem Censura de Itajai pelo período de 5 meses (de agosto a dezembro) de 2016. Tenho 7 livros psicografados. O primeiro deles esta no prelo com o titulo ORION a semente de amor que deve brotar. Do autor espiritual Antonio Gonçalves da Silva – Batuira.

Afilhada de Joyce Lima Krischke
Confreira Efetiva.

O barco azul...
Cida Zanetti

Da janela do meu quarto
Que a luz do sol clareia, o vento frio passeia
Aquele barco azul parece imparcial, mente seu visual
Preso por uma corda sente as aguas mansas passarem
No frio da estação se expõe com gratidão
Ao sol que parece vir somente ao seu encontro
Se deixa mudar o rumo mesmo preso ao tronco
Sem nada argumentar
Visto de cima um pequeno ponto azul...
De baixo, apenas um vulto na superfície do rio
Do lado apenas uma barco azul
Deixado não por acaso
A espera de novos comandos
Vidas novas e novo rumo
Destino é para onde for levado
Ah...agora vejo-o de lado.
Ao sabor do tempo e do vento
É hora de um novo chamado.
Parte barquinho azul, a Beira Rio é so sua.
Obrigada por sua presença
Embelezou nossa rua.
Ao longo como um fantasma a surgir
Vejo um grande navio cargueiro
Pedindo licença para entrar
Enquanto outro bem perto
Aponta carregado e altivo
Dando adeus ao porto
Singrando novos rumos, deixando para trás os nativos.
A paisagem continua a mesma
Rio e mar , mar e rio
Tudo depende de um olhar,
Que ele não seja vazio
Fundindo o dentro e o fora
Num complemento infinito.
E o barquinho azul
Após movimento sináptico
Voltou a placidez da inercia
Esperando um novo impulso
Um novo movimentar
Entre a gua e o céu
Entre o meu e o seu olhar!

10 de junho de 2018

CLAUDIA-FERREIRA DA SILVA ALMEIDA- NEGRA LUZ.jpg

          Claudia Ferreira da Silva Almeida                                           Negra Luz
                                  Antologia CAPPAZ 2020

           Negra Luz é Cláudia Ferreira da Silva Almeida, nasceu em Salvador/BA, em 1975. É contadora e advogada, especialista em Direito e em Gestão de Pessoas, mestre em Direito, Governança e Políticas Públicas pela UNIFACS. Participa de grupos de poesia, clubes de lei e sarais como: Movimento Exploesia, Poesia na Chácara e Clube dos Poetas. Possui publicações em coletâneas, como: Concurso Nacional Novos Poetas 2018, Poésis 2019, Antologia Poética - Edição Primavera 2018, Palavras de Mulher- Poesias 2019, Antologia Natalina, clube de leitura Kasa de Alice e em revistas como: Revista A Ilha, Revista Poetas do Brasil, Revista Artpoesia. Agora parte para o seu primeiro livro: O Voo.

Afilhada de Vera Passos
Confreira Efetiva.

A paz que quero no meu coração
Claudia Ferreira da Silva Almeida

A paz do amanhecer no entardecer.
E a do entardecer no amanhecer.
Paz dos pequenos fatos.

A paz que se conquista
E, facilmente, se reconquista.
Paz como opção.

A paz por muitos sonhada.
A mesma que pode ser praticada.
Paz na mão. Paz do coração.

 

CRISTIANO SOUSA.jpg

Cristiano Ferreira de Sousa
Antologia CAPPAZ 2020

                    

Natural de Salvador – BA, escritor e compositor, autor de peças teatrais com algumas já publicadas, como: “brincando de ler 2”.
Tem como obras: romances, contos e peças teatrais, ainda não publicados.

Afilhado de Joyce Lima Krischke
Confrade Efetivo.

Peça teatral que Cristiano, ao saber das atividades da CAPPAZ, fez para a casa da criança.
Podendo ser encenada em outros lugares.


Queremos paz
Cristiano Sousa

 

_ A paz, a paz, a paz!...(todos)

_ Queremos paz mas fazemos guerra, insistimos em fazer a guerra pra buscar a paz. (Paz).

_ É verdade. Porquê tantas guerras sem sentido? (Harmonia)

_ Sem sentido? E a nossa soberania nacional? E as armas? Temos que vender as nossas armas. As riquezas são o que importa! (Pessimismo)

_ Lá vem você com seu baixo astral. Gente não deem ouvidos a esse sujeitinho, ele só pensa nos lucros que uma guerra pode trazer. Até parece que ele é o “senhor da guerra” (Paz)

Música da Legião Urbana “o senhor da guerra”. (Pessimismo dança.)

É pessoal, vocês ouviram o que a letra da música diz: o senhor da guerra não gosta de crianças. Esta é uma das realidades das guerras, nós crianças somos as principais vítimas, somos indefesas e sofremos no meio das batalhas, isso quando não estamos envolvidas nelas.

_ Queremos paz! (todos)

_ Mas que isso não nos desanime meus irmãos . Agora quem vai a luta somos nós; somos crianças sim, mas temos as nossas armas também. Vamos usar a nossa boca para pedir paz aos governantes do mundo inteiro e que todas as desigualdades políticas e raciais não mais dominem o mundo e, principalmente, que a paz reine no coração de todos. (Paz)

_ Aha! Mesmo que todas as autoridades vos ouçam de que isso adiantará se as batalhas estão bem próximas de nós, nas nossas cidades, nos nossos bairros, nas nossas ruas? Vejam, as guerras civis estão aí, espalhadas pelo mundo inteiro! (Pessimismo)

_ Abriremos nossas bocas a respeito disso também. Não as guerras civis! (Paz)

_ E as drogas que consomem os jovens...(pessimismo)

_ Chega! Você é pessimista mesmo hein? Eu sou a paz e digo que se todos nos unirmos vamos acabar com as guerras, as diferenças sociais e raciais .(Paz)

_ A paz e a guerra estão dentro de cada um de nós. Vamos escolher a paz. (Paz)

_ Olá! Eu sou a harmonia e gosto de ver todas as coisas convivendo harmonicamente, tanto os homens quanto a natureza. Me digam, não é bonito ver os pássaros livres a cantar? Os peixes no mar, que lindos são! O casal de namorados a se beijar... Como é bom a harmonia no ar. (Harmonia)

_ Que negócio de harmonia! Não existe isso! O que a gente vê é desunião e destruição. Todos os dias assistimos casais se destruindo, motosserras pondo árvores milenares abaixo, pesca e caças desenfreadas. (Pessimismo)

_ Mas isso vai mudar! Abriremos as nossas bocas contra toda essa destruição. Eu acredito que toda essa desarmonia vai se harmonizar. E lembrem-se: A paz depende da harmonia. (Harmonia)

_ Eu sou a União. A união que existe entre povos e raças. Me oponho a tudo que vem para desfazer essa união (União)

_ Então você se oporá a mim porque eu sou contra a união. Pra quê união? Você não vê que as pessoas são falsas, na frente mostram ser uma coisa mas por trás outra. Como pode haver união se as pessoas são egoístas e pensam apenas em si próprios. Que união é essa? (Pessimismo)

_ Isso é você quem diz Pessimismo! Existem pessoas sinceras e que pensam no próximo. Você não conseguirá derrubar a nossa auto estima. E estamos na batalha para que toda desigualdade e falsidade sejam exterminados do planeta, então todos viverão unidos. A paz depende da união. (União)

_ Eu me chamo educação. Infelizmente o mundo, apesar de estar globalizado, ainda tem muitas desigualdades educacionais. Alguns países saíram na frente e tem a educação como primazia, já outros não conseguem o básico. O Brasil, por exemplo, ainda não chegou ao patamar que queremos no que diz respeito a esse assunto, mas estamos lutando pra que isso aconteça. (Educação)

_ Que educação que nada! Pra que esse negócio de escolas, cultura, poesia...Eu acho tudo isso uma chatice (Pessimismo)

_ Pois é! É por causa de pessoas como você que a nossa educação está ruim. Sabemos que vamos conseguir. A paz depende da educação. (Educação)

_ Eu me chamo lazer. Precisamos se lazer; sem ele a nossa vida fica monótona e sedentária. O lazer faz bem ao corpo e ao coração (Lazer)

_ Lazer? Pra que lazer? O que eu quero é ficar em minha casa, mofando em cima do meu sofá o dia todo. Odeio atividades físicas! (Pessimismo)

_ É por isso que você é assim: doente no corpo e na mente. Digamos não a vida sedentária. A paz depende do lazer. (Lazer)

_ Eu me chamo Saúde e estou intimamente ligada a tudo o que foi exposto aqui, com exceção do Pessimismo.

Precisamos melhorar a saúde em todo o mundo. Lutaremos pra que aja mais hospitais de qualidade, postos médicos que funcionem nos bairros, redes de esgoto que tenham manutenção correta e tudo aquilo que meus amigos já disseram aqui. (Saúde)

_ Olá, eu sou o perdão. O perdão limpa a alma, extingue a angustia, elimina a morte. A pessoa que não aprendeu a perdoar vive amargurada. (Perdão)

_ Perdoar? Que negócio é esse? Eu vejo tantas brigas, ciúmes, invejas. Há tristeza por todos os lados e você vem aqui me falar de perdão (Pessimismo)

_ Tudo isso acontece porque as pessoas não aprenderam a perdoar, mas, quando aprenderem, você verá um mundo mais feliz. A paz depende do perdão. (Perdão)

_ Aha! Finalmente. Agora não tem mais nenhum pirralho pra me incomodar com essas conversas tolas. Só faltava agora me falarem de amor! (Pessimismo)

_ Estou aqui! (Amor)

_ O quê? Não! (Pessimismo)

_ Sim! Sou eu! E estou aqui para falar desse sentimento que é o mais nobre de todos: o amor.

O amor é a base de tudo e de todos; todo e qualquer sentimento está fundamentado nele; através dele Deus dá vida a todo ser porque o próprio Deus é amor. Tantos e tantos profetas, escritores, poetas e músicos de todas as origens e nacionalidades cantaram, cantam e cantarão o amor.

Além de ser o início de tudo, ele também é o final. Se não tivermos amor não existiremos. A vida não tem sentido sem o amor. Não existem palavras para explicar o amor. (Amor)

Dito isso, o Pessimismo vai embora e as crianças ficam felizes a dançar cantando a música:

“queremos paz para buscar a paz”.

Fim

Confrades e confreiras que participaram das Antologias CAPPAZ  -  2019 

audelinafoto.jpg

Audelina de Jesus Macieira dos Santos

Nasceu em cachoeira Ba, filha da professora Maria Macieira e do operário Valter Martins Macieira, cresceu ao lado de seus oito irmãos.
Convivendo com a poesia de sua mãe que cantava e encantava a todos.
Ainda muito pequena desenvolveu o desejo de cantar versos, e aos sete anos escreveu seu primeiro versinho bobo, que dizia: Meu quintal é bonito como o infinito, aqui brinco com meus amores, Maria e Jacó, aqui nunca vou me sentir só. Desde então levou a poesia onde quer que ia sempre com muita alegria. É formada em Licenciatura em Pedagogia e Especialista em Neuropedagogia com psicanálise. Publicou seus pensamentos em diversos jornais e revistas, dentre elas “IC” Informativo Cultural, Artpoesia e Varal do Brasil, finalista do concurso literário Valdeck Almeida de Jesus em 2012, participa com sua crônica sobre Jorge Amado no livro que homenageia seus 100 anos de vida. Ao lado de grandes nomes da poesia baiana integra o elenco do livro Letras Contemporâneas, ed: Ominira, está presente também no livro Varal do Brasil III, Coletânea Poética "13" Ed. Òmnira, Poesias Desavisadas de Tudo da editora Scortecci, SP e em maio edita seu livro solo “Coração Amargo em Flor” pelo projeto Alma Brasileira.

Afilhada de Malú Ferreira
Confreira Efetiva.

As flores
Audelina de Jesus Macieira dos Santos

São belas
Todas elas
As azuis e as amarelas
Que fazem festa nas janelas
As vermelhas falam de paixão
E as brancas inspiram a emoção
As tulipas dançam tango à noite
Acompanhadas das folhas ao vento
As rosas, soltam no ar um perfume intenso
Misterioso, que invade os corações dos noivos.
As orquídeas são tímidas discretas parecem
Falar de tão quietas
As flores do campo tão simples
Tão humildes tão sinceras
Aparecem sempre nas horas singelas
Horas! que não precisamos das palavras
Nem dos beijos mais ardentes
Para expressar nosso sentimento
Neste momento só precisamos
Prestar atenção nas flores
elas enfeitam a vida , enfeitam os amores
Estão por todo caminho
Onde o homem anda sozinho
Estão em todo lugar
A nos encantar
Natural natureza são as flores
Com certeza
Elas são nossas amigas
Que nos acompanha na hora da partida
As flores dançam uma canção de mel
e só os corações conseguem ver com os olhos d’alma
Elas florescem espalhando perfume por toda terra
as flores são frágeis, são eternas.
São mensageiras da fraternidade
elas as belas flores
Todas elas nós remete a paz.

conceicaoferreirafoto.jpg

Conceição Ferreira
(Maria da Conceição Ferreira Silva dos Santos)

Auxiliar de enfermagem, Curso de Relações Humanas e Puericultura, autora do livro: Recomeço,colaboradora e declamadora da Artpoesia e Fala Escritor, Parada do livro e acompanha todos os eventos da CAPPAZ.

Afilhada de Vera Passos
Confreira Efetiva.

Biografia
Conceição Ferreira

Considere os calos em minhas mãos.
Eles são:
o atestado da minha vida.
Se me chamam de ociosa,
vou ficar irosa?
Exponho minhas mãos.

Nelas estão:
como foi minha vida,
minha lida...
Nos calos as pampas,
formados desde não sei
das quantas!