top of page

133ª CIRANDA MENSAL CAPPAZ - MANUTENÇÃO DA VIDA NA TERRA



ÍNDICE CIRANDA TEMÁTICA (concorrentes ao título de Mestre Cirandeiro) Akasha De Lioncourt (14) Cardoso (16) Carlos Reinaldo de Souza (17) Deomídio Macêdo (11) Diná Fernandes (15) Fernando Alberto Salinas Couto (10) José Maria de Jesus Raimundo Silva (13) Josue Ramiro Ramalho (09) Luciene Alves (08) Marcelo de Oliveira Souza (01) Marina Martinez (18) Negra Luz (03) Nena Sarti (19) Odlon Machado de Lourenço (05) Patrícia Ferreira dos Santos (02) Renata Rimet (04) Roseleide Farias (12) Roseli Farias (06) Vera Passos (07) ÍNDICE CIRANDA TEMÁTICA Akasha De Lioncourt (05) Celso Corrêa de Freitas (01) José Pereira da Silva (04) Joyce Lima Krischke (03) Sandro Toledo Rocco (02) ÍNDICE TEMA LIVRE Akasha De Lioncourt (12 e 13) Dilson Ferreira da Silva (03) Diná Fernandes (14 e 15) Jonas Krischke Sebastiany (02) Lorena Boing (01, 05 e 06) Márcio Antonio Passos Della-Cella (07) Marina Martinez (16) Mirian Arceno Rocha (09) Negra Luz (08) Patrícia Di Loreto (10 e 11) Sandro Toledo Rocco (04)

ÍNDICE CONVIDADOS Bárbara Hupsel (03) Dilu Machado (05) Genice Nogueira (02) Guto Pires (07) Lindomar Bomfim (01) Romário Filho (04) Rosélia Bezerra (06) PARTICIPAÇÕES CIRANDA TEMÁTICA (concorrentes ao título de Mestre Cirandeiro) -01- Manutenção de quem Erra! Marcelo de Oliveira Souza Na sociedade atual Tem muita gente que erra Ataca os animais A sua vida encerra, Tem gente que queima O maçarico não erra! Se aqui no solo É esse horror Na água é um clamor, Sangue, suor e dor! As baleias massacradas Tartarugas presas, enredadas Na rede de pescar. Tudo um tormento Cada tento ... A vida aqui na Terra É dor sem lamento Acha que têm conhecimento! E depois do passamento Põe-se a refletir Naquele momento. Onde a manutenção Da vida na Terra Só depois enterro Nesse triste acontecimento... Salvador/BA -02- Manutenção da Vida na Terra Patrícia Ferreira dos Santos A água está escassa Salvador está sem árvore Os animais pedem socorro Os asfaltos Os prédios As necessidades humanas Desenfreadas Acabam com a natureza Agora temos o vírus Sem cura Estamos no caos Os recursos renováveis Eles são finitos também Tudo é finito Somo-nos finitos Alimentamo-nos Modificamos a natureza Brigamos com ela Esquecemo-nos do amanhã Sem canção Como manter a vida na terra? Salvador/BA -03- Virá Negra Luz A nossa pomba virá. E será a mais linda. A mais desejada. A mais vista. Facho de luz de Amor. Suas asas, tão aguardadas, Trarão o afago para a alma. Feridas serão cicatrizadas. O bálsamo. A cura pelo amor. Esperança em cada pena. Luz para cada vida terrena. Paz aonde nem se esperava. A natureza redimensionada. Famílias reencontrando o calor! Salvador/BA -04- Esperança em semente, amor que nasce Renata Rimet Arada a terra, basta aguardar com cautela Chuva caindo, semente espalhada Germinação florescendo em sinal de promessa Diante de tanta beleza, em êxtase, agradecemos o alimento que brota Feliz ao compreender o giro da roda, garantia que nos é prospera Humanidade que se expande em gestos de Igualdade e partilha Jamais duvidaremos da capacidade humana enquanto ressignifica sua trama Luta por sobrevivência, movimento pela vida Tudo é tão necessário para mudança de conceitos É otimismo e paixão em quantidades sem medida Sementes espalhadas, frutos colhidos Mente e corpo nutridos Assim teremos paz Seremos capazes de manter viva a esperança na Terra Salvador/BA -05- Mãe Terra Odilon Machado de Lourenço Pássaros cantam num só tom Renasce Mãe Terra nesse som! Peixes saltam das águas sem cor Renasce Mãe Terra no amor! Flores espraiam esplendor Abraça Mãe Terra o fulgor! Animais no campo correm ao léu Acarinha Mãe terra seu céu! Ovos descascam nos ninhos Acorda Mãe Terra os passarinhos Sementes brotam nos prados Recorda Mãe Terra seus agrados Frutas maturam nos galhos ao sol Beijam Mãe Terra divino arrebol. Porto Alegre/RS, 15/04/2020 Salvador/BA -06- Renovar Roseli Farias


Vida, és a maior empresa do mundo! Apesar dos desafios, vale a pena viver... Atravessamos desertos inseguros , sem certezas e temos muita coragem nessa caminhada. Precisamos agradecer, todos os dias! Temos planos, dificuldades e obstáculos, mas vamos renovando no espetáculo de sua beleza! Recriamos e experimentamos a vida e seus sabores. Somos entusiasmados, todos os dias, pelo desafio da luta. Diariamente, damos corda no relógio da esperança... Chuvas e ventanias, renovadas no brilho de cada olhar e no recôndito da alma. Desfrutar das fases douradas, tendo forças para tentar de novo. Mantenhamos a vida neste grande planeta, e façamos dela a razão maior de viver pois, acima de tudo, somos gente! Levemos uma grande mensagem às nações, em sintonia com o amanhã. Mostremos que vale a pena procurar, não fechar os olhos e sentir a beleza da vida! Olhar para dentro de si mesmo, pois precisamos de manutenção e renovação. Da fertilidade de amor, brilhando em nossos corações, como as estrelas no céu! São José/SC -07- Manutenção da vida na Terra Vera Passos Difícil missão diante das iniquidades Na clausura pela vida, perde-se liberdade Peleja-se por vias do pensamento No intento de sobrevoar e sobreviver ao vento O tempo urge distanciamento Força o desapego, desatam-se o excesso de mãos entrelaçadas Uma pausa aos encontros fortuitos A vida requer novos sentimentos Lá fora moram as inconsequências Sequências de ações impensadas Vidas inteiras exploradas Gente perdida, abandonada Abduzida pela paixão desenfreada O Cosmos espera sementes Eclodidas no pós guerra Vidas mantidas na crosta da Terra. Salvador/BA -08- Manutenção de Vida na Terra Luciene Alves A Mãe Natureza Senta-se de pernas cruzadas Coloca a Terra e a Vida No seu colo, e começa a chorar Indgnada com o que Está acontecendo No Planeta Terra. O Desmatamento na Amazônia O Aquecimento Global As árvores derrubadas As matas queimadas. A Terra pede socorro A Vida pede misericórdia. A Natureza Mãe Então aconselha-as: Para a Vida e a Terra Viverem em Harmonia Será preciso passarem Por transformação radical A Terra a não permitir Que o homem continue a destruir As plantas, o solo e o ar. E a Vida a não aceitar Que o homem continue a matar Os peixes, os rios e o mar. Manter a Vida Atenção com a Terra Esta é a nossa missão A Mãe Natureza Agradece. -09- Manutenção da Vida na Terra Josue Ramiro Ramalho Pregamos a paz em toda a terra Mantendo também o amor ao próximo Merecendo a vida, abolindo o tóxico O mundo exige paz, nunca a guerra Queremos os seres cheios de harmonia Plantando sua luz independentes da dor Semeando a nossa doutrina do amor Nos corações felizes de total sintonia Assim vamos mantendo a vida na terra Rogando que seja uma vida eterna Com doação, amor e tranquilidade Difícil conter as duras batalhas Travadas na vida que nunca se encerra Teremos paz e amor em qualquer idade. Salvador/BA -10- Manutenção da Vida na Terra Fernando Alberto Salinas Couto Manter a vida na Terra só requer dar-se valor aos bens da natureza, com amor e não guerra. Amar mais Nosso Senhor que perdoa mossa fraqueza. Fraqueza duma ambição de conquistar o poder, sem guardar no coração o que precisa pra viver... Acabar com toda fome, sem criar vírus mortais, sem apavorar as pessoas, com a verdade sublime sobre os perigos reais e plantando coisas boas. Boas para um bem geral e para manter a vida global. Rio de Janeiro/RJ – 18/04/20 -11- Manutenção da Vida na Terra Deomídio Macêdo Linda a natureza que nos gera. Oportunizando-nos lições diáfanas estrelares, ao brindar a energia no líquido aminiótico, numa missão artífice de amor, manipulando as células dos corpos que se associam através de mãos Divinais. O elo se rompe e a criança se faz presente, anunciando que a manutenção da vida na Terra se concretizou. Ali os seres se abraçam entre árvores e relvas no berço da natureza. Salvador/BA -12- Manutenção da Vida na Terra Roseleide Farias Ai meu Deus, ai quem me dera Ver a Terra arborizada e florida A água jorrando pura e límpida Saciando a cruel fome e a sede De todos os seres desta vida...! Não ver mais insana crueldade Latente nos corações humanos Mesquinhos, egoístas, vaidosos Galgando espaços e nas alturas Esquecerem que nada é nosso! Ai meu Deus, ai quem me dera, Não ver tal destruição na Terra, Esquecer o homem, a pior fera, Que atrasado em humanidade, Sentirá dor ao ir á outra esfera. Mas, há esperança, não é tarde. O Tempo sempre sábio e eficaz, Trará mudanças e mesmo a dor E o pranto passarão; e o sol virá, A chuva, vento, tudo renascerá! Há os homens sábios, guerreiros, Á instruírem grandes multidões. Profetas, cientistas, mobilização, Que na luta incansável pelo Bem Seus corações não esmorecerão. Cabedelo/PB -13- Manutenção da vida. José Maria de Jesus Raimundo Silva Passa o tempo... passam as pessoas... Passam as estacões. Mas não passa a vontade de: Preservar montanhas, Rios, florestas e oceanos. E preservar a vida humana, Animais selvagens e domésticos. A vida aquática, Pássaros que cantam e encantam. Cachoeiras magnificas, Represas exuberantes, As águas cristalinas que serpenteiam, Nosso Brasil e o mundo. Essencial para todos. A natureza é um presente de Deus. Varginha/MG -14- E agora, pessoal? Akasha De Lioncourt Nós estamos vivendo, Um período de medo... A tensão tem sido comum Enquanto vidas estão se perdendo. Um vírus muito letal, Que causa um grande estrago, Fazendo a população, Esconder-se dentro de casa. Então, fica a indagação: Até onde vai a responsabilidade, De toda a população? Se desde muito tempo atrás, Destruímos nosso planeta... Poluímos, exploramos, Sem pensar nas consequências. E agora, pessoal? O que podemos fazer? Precisamos rever conceitos, Prioridades e ter mais respeito. A vida na Terra está frágil, Um vírus invisível nos tornou iguais Não há rico, nem pobre, Apenas seres humanos... E precisamos sair melhores, Desta experiência dolorosa Que é manter a vida do planeta Longe do que possa dizimá-la. Hoje, estamos lutando para isso, Que haja algo bom para contarmos... Amanhã! São Paulo/SP – abril/2020 -15- Manutenção da vida na Terra Diná Fernandes Terra... O homem vive a macular sua imagem Deus lhe deu inteligência para discernir O certo do errado, mas o homem Aprimorou seu instinto de destruir. Água... Sem água, a vida na terra será inviável O homem, nossas matas e animais Não suportariam essa situação indesejável Cuidemos! A Natureza pede socorro, dói os ais Causados pela insensatez imensurável. Ar... O ar perdeu sua qualidade As águas estão envenenadas Equilíbrio biológico sem sustentabilidade Mares e rios, lixo às toneladas. O homem está evoluindo ao contrário Que herança deseja deixar como legado? Destruindo o abençoado cenário Pela irreverência transformado Cabedelo/PB -16- Manutenção da Vida na Terra Cardoso


Salvador/BA -17- A Vida na Terra Carlos Reinaldo de Souza Terra, és berço da vida, és a morada, és lar, guarda, em teu seio, jazida de eterno amor a pulsar. Porém, o homem ingrato, fere teu solo dorido, polui o ar e o regato, deixa o planeta ferido. O que fazer, ó Senhor, para esta vida manter, em meio a este terror, que faz a Terra gemer? Esta batalha cruenta, a Terra tende a perder, esta é uma luta sangrenta, precisa o homem ceder. Deve cessar a agressão, e sempre dar a guarida, à paz, ao bem e à razão, e assim garante a Vida! Conselheiro Lafayette - MG -18- TERRA, sua sobrevivência, nossa vida Marina Martinez “A Terra fala para aqueles que a ocupam.” Não lembro onde li essa afirmativa, mas acredito nela. Em qualquer situação, há extremistas e acomodados, violentos e impotentes, estudiosos e indiferentes. E, em quase todos os diálogos, há aquele que ouve mas não presta atenção na mensagem ou se faz de desentendido e, portanto, a informação se dilui, da mesma forma como se fragmentam solos, as águas crescem, vulcões se inflamam, geleiras derretem. Acredito existirem mensagens espalhadas no mundo inteiro: a Terra realmente “fala” para e com aqueles que a ocupam. Percebendo não ser entendida, confirma, com exemplos muitas vezes trágicos, recados enviados há muito tempo. Hoje, 2020, mais um perigo ameaça a sobrevivência no planeta. Novo agressor, minúsculo mas mortal. Não é o primeiro e creio não ser o último. Outros o antecederam, pestes já minaram a humanidade, mortes aos milhares, não bastassem aquelas advindas da pobreza e da fome. Pandemia sacudindo várias estruturas consideradas intocáveis, seguras, protegidas. As pessoas estão, há algum tempo, mais conscientes sobre posturas importantes para a preservação da vida, em suas diversas formas. Ideias e atitudes surgem em todo o planeta, apoiadas por todos, jovens e idosos, religiosos e ateus, brancos e negros, humildes e abastados. Mesmo assim, juntos, foram surpreendidas por mais esse baque que cresce de modo assustador, transformando pessoas em dígitos. Confesso: números me assustam! Em especial quando se tornam estatística, substituem nomes, apenas quantificam pessoas mortas. É o que ocorre nesse momento. O mundo inteiro está submerso, hoje, no pânico dessa nova realidade. Apesar de debilitada, a natureza ainda tenta dialogar. E a humanidade, com seus diversos indivíduos, agora suplica para coexistir. Dentre tantos estragos e perdas, é na terra, mesmo hostilizada, onde ainda germinam alimento e beleza. É a Terra socorrida pela terra. É o homem buscando o Homem. Porto Alegre/RS -19- Dedilhar Nena Sarti Dedilho contas e contas Nas rezas matinais Para contar as minhas plantas Quais plantas irei consolar. No dedilhar das contas Faço conta do bem querer Fazer de conta que não vejo A destruição que mal ensejo. Aos inoportunos destruidores, A natureza chora, se contorce Dedilha também sem segredos O medo da sua morte. Dedilho contas e contas, Nas rezas de todas as tardes, Lembrando do choro constante Das florestas em fogo que arde. Animais correndo da triste sorte Entrando na extinção sem corte. Dedilho contas e contas, Nesse dedilhar noturno, Da reza com pincel soturno, Pedindo ao PAI divino e uno Manutenção de vida na Terra. Campo Grande/MS PARTICIPAÇÕES CIRANDA TEMÁTICA -01- Lá fora, vozes clamando no deserto pregam que precisamos cuidar do nosso Planeta Terra Celso Corrêa de Freitas Alguns apegados a religião buscam no Rei Davi e o seu salmo 37.29 a razão para não temerem: “…Os justos possuirão a terra e residirão sobre ela para sempre Com certeza Davi, ao compor tão belo cântico, não tinha a dimensão da capacidade destrutiva do ser humano nos dias de hoje. Onde está o nosso compromisso com a nossa casa universal, a primeira e única morada pois dela viemos e a ela voltaremos Estamos todos os dias agredindo-a e depredando-a, sob o rótulo de conquistadores, desbravadores e construtores do progresso. Viva o progresso! Mas viva ainda mais aquele que cuida dos ecossistemas, das águas, do solo, do ar, do mar e da totalidade da grande nave mãe denominada planeta terra. Você que ora lê este texto, já ouviu falar na Carta da Terra? Um dos documentos mais importantes assinado pelos governantes humanos ao final do século XX Por acaso ela está afixada nas Escolas, nas igrejas e Templos, Nas repartições ao lado da foto dos senhores Prefeitos, Governadores e Presidentes? Precisamos nos decidir, ou cuidamos da nossa casa ou ela vai cair A chapa; digo, o telhado está ficando cada vez mais quente. E as geleiras derretendo-se com o aquecimento global. Tal situação afeta até; embora passe despercebido essa relação, a nossa saúde e por consequência a nossa convivência social Isso explica “nossa convivência tão diferente, preconceituosa, injusta, violenta e destrutiva Que tal sermos mais conscientes e humanos? Para que Deus fique contente, e a terra possa seguir em frente para todo o sempre Praia Grande/SP -02- Libertação Sandro Toledo Rocco Deus misericordioso... Que fizemos nós de sua Terra? O planeta está em permanente luta, sempre em guerra, Os valores se perderam, a felicidade está agonizando... A Humanidade não tem mais honra, nobreza ou altivez; É tanta malevolência, tanta hostilidade, tanta estupidez, Que mesmo os baluartes da dignidade estão fraquejando! Tudo que era mais sagrado perdeu essa dadivosa condição; Filhos afrontam seus pais, e irmão mata o próprio irmão, Num delírio extremo e atroz de crueldade injustificada... O vil metal é mais aceito e apreciado que a generosidade, E o verbo “ter” se sobrepõe ao verbo “ser” com facilidade, Pois a ganância deturpou nossa alma pútrida e alquebrada! Contudo, a esperança ainda nos oferece um alento profundo; Por mais que a Humanidade tenha maculado nosso pobre mundo, É possível, sim, termos respeito e cortesia com os nossos iguais... Nossas escolhas nos norteiam, e tecem nosso destino malfadado, Mas são nossas emoções que nos fazem um “cidadão respeitado”, E alicerçam nosso caminho para alcançarmos a tão sonhada Paz!... Santa Albertina/SP -03- Poesia da Vida Joyce Lima Krischke

Balneário Camboriú/SC -04- A crise ecológica é uma ameaça comum global José Pereira da Silva O ambiente só poderá ser compreendido em todas as suas implicações se mobilizar os esforços de todos os domínios do conhecimento, da cultura e da organização social, incluindo as ciências sociais e humanas. A crise ambiental envolve mudanças profundas operadas na face do planeta e no seu funcionamento interno, até a hipótese de uma nova era geológica, como é o caso da proposta do “Antropocênico”, avançado pelo Prêmio Nobel de Quimica, Paul Crutzen, em 2000. Contudo, os desafios sociais exigem um compromisso por parte da economia, do direito, da psicologia, da sociologia, das ciências políticas, das artes, e de todos os olhares sobre o mundo humano. A devastação da Terra nunca pode ser divorciado do sofrimento dos seres humanos, mais vulneráveis, que dela habitam e dependem. Para o Papa Francisco além da perigosa encruzilhada climática, a crise ecológica envolve, entre outras facetas, a poluição dos oceanos, o desaparecimento da diversidade biológica, as incertezas com os OGM (organismos geneticamente modificados) , a desertificação e a desflorestação, a injustiça no acesso aos recursos naturais e à propriedade da terra, a penosidade da existência de milhões de seres humanos que diariamente labuta pela obtenção do parco alimento e do escassa água de que se nutrem. Sem uma nova aliança destinada a reconciliar a História e a Natureza, tanto a Terra como os mais pobres e deserdados continuarão a ser devorados no altar de uma concepção de crescimento, sem valores que a limitem e lhe confiram propósitos. Uma perigosa combinação entre tecnologia e globalização, aliada a uma visão desumana da economia, como processo de acumulação e reprodução de capital, e não como meio para vencer a pobreza e promover a emancipação dos indivíduos e dos povos. Não se trata tanto de colocar em causa um desses elementos de modo autônomo e isolado (tecnologia, globalização, economia de mercado), que correspondem a capacidades e necessidades humanas, mas sim de compreender laços patológicos que atualmente os unem numa errada hierarquia de valores. O modelo soberanista, vertical e competitivo de exercício do poder territorial dos Estados é completamente inadequado para o sábio uso e a justa gestão de bens que são, por sua essência própria, comuns a toda a humanidade. A crise ecológica é uma ameaça comum global. Não existem santuários. Mais tarde ou mais cedo, essa crise atingirá, se não for feito o que é necessário, todas as latitudes e longitudes. Precisamos, por isso, d um modelo de sistema internacional baseado na cooperação determinada e vinculativo contra o perigo comum, defendendo os equilíbrios ecológicos e ambientais que são igualmente, do interesse comum de toda a humanidade. Salvar a casa comum, proteger a natureza, respeitar o ambiente, são sinônimos das tarefas que se colocam na agenda de uma dignidade humana que não se esgote numa mera enunciação retórica. -05- Fraternidade para com a vida no planeta Akasha De Lioncourt Ouvimos tanto falar em fraternidade e sempre associamos essa palavra com um comportamento que devemos manter para com nossos semelhantes, nossos irmãos. E nos esquecemos que esses irmãos não precisam ser, necessariamente, humanos. Com isso, vemos tantos casos de maus tratos aos animais, seja com os pequenos que se encontram abandonados pelas ruas, seja em locais de visitação pública, como zoológicos e circos, seja dentro das casas, quando os próprios tutores abandonam seus animais de estimação por qualquer que seja o motivo. Vemos ainda formas de maus tratos muito mais graves, com o Planeta, com a Natureza, com todas as formas de vida, tudo em nome de um progresso que só nos leva à degradação total de tudo o que foi criado. Egoístas... sim, é da natureza humana pensar que tudo foi criado para nos servir. É tão lindo ver os animais adestrados em circos, resorts, parques, zoológicos, mesmo sabendo que eles passam por sofrimentos horríveis para que seja obtido esse comportamento servil que não faz parte da natureza deles. Há séculos e séculos esse pequeno planeta situado dentro do sistema solar tem servido de escravo para a vontade humana e mesmo seus sinais de reação, através das “catástrofes naturais”, têm sido inócuos para que compreendamos que tudo isso faz parte de uma lei conhecida por ação e reação. Não se trata sequer de religião, mas de algo cientificamente comprovado e conhecido como sendo uma das Leis de Newton: “a cada ação corresponde uma reação de igual intensidade”. Como estamos agredindo brutalmente a natureza com fins egoístas e com fins lucrativos, ela nos responde destruindo o bem maior que possuímos e para o qual não damos o devido valor: a vida. Enquanto não tratarmos todas as formas de vida e nosso planeta como verdadeiros irmãos, respeitando os animais, a natureza e uns aos outros, não vejo um futuro muito promissor para o gênero humano. Nós mesmo estamos buscando o nosso fim, pelo menos dessa forma como nos conhecemos hoje. E isso não é obra de ninguém, apenas uma desconstrução do que recebemos de graça. A vida nos mostra milhões de milagres todos os dias, desde o amanhecer até o pôr do sol e não nos damos ao trabalho de admirar a obra o espetáculo da vida que se renova a cada dia. Perdemos a ternura... Isso não podia acontecer jamais e cada ação traz consigo a responsabilidade do ato. Vamos torcer para conseguirmos suportar todos eles. São Paulo/SP – junho/2011

PARTICIPAÇÕES TEMA LIVRE -01- Esperança Lorena Boing

Balneário Camboriú/SC -02- 15 Reflexões Sobre o Distanciamento Social Jonas Krischke Sebastiany A pandemia do COVID-19 nos deu motivo e tempo para uma série de reflexões, e eu tomo a liberdade de compartilhar algumas das minhas: 1. A globalização não é apenas comercial e cultural, é também biológica e nosológica (das doenças). 2. A Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Fundo Monetário Internacional (FMI), se realmente quiserem fazer valer seus objetivos sociais, terão que rever seriamente seus conceitos de prioridades de investimento. 3. De nada adianta as grandes potências ficarem cada vez mais ricas e isoladas, porque não conseguirão ficar imunes às doenças dos países pobres. 4. Paradoxalmente, o exigido distanciamento social oportunizou a aproximação forçada de membros da mesma família que apenas coabitavam, muito embora alguns ainda tenham optados pelo isolamento dentro do isolamento, em seus quartos herméticos. 5. A solidariedade é tão instintiva quanto o egoísmo. É muito conveniente alegar ingenuidade ou desconhecimento como justificativa para passar por cima do seu semelhante. 6. Quem passeia tranquilamente pelas calçadas, praças e parques enquanto a maioria fica reclusa em suas casas, considera-se melhor do que os demais, que cumprem as determinações das autoridades? 7. Alguém já notou que os empreendimentos imobiliários focam suas propagandas no máximo de suítes por apartamento, e não em salas grandes para o convívio familiar? 8. Gripes não foram feitas para serem combatidas, e sim prevenidas. Com vacinas quando possível e sempre com hábitos de higiene. 9. Aqueles que até ontem demonizavam as vacinas, hoje dariam tudo para serem imunizados contra o Covid-19. 10. Muitos que rotulavam os médicos de egoístas e corporativistas, hoje precisam se render às evidências de que a imensa maioria está mobilizada, arriscando suas vidas para atender ao próximo sem pensar em obter vantagens financeiras com a pandemia. 11. Saneamento básico (água potável e esgoto) e educação descente são os melhores investimentos em saúde em qualquer parte do mundo. 12. Não há dúvida de que se faz necessário um plano de contingência com limitação da liberdade individual de ir e vir, mas a aposta na possibilidade de uma mortandade em massa está nos levando certeza do desemprego e da recessão econômica, com consequências sociais trágicas. 13. Leis ou quaisquer determinações, sem os respectivos apenamentos, são meros aconselhamentos sem efeito prático algum. 14. “As crises não formam o caráter e sim o revelam.” (web) 15. “A imaginação é a metade da doença, a tranquilidade é a metade do remédio e a paciência é o primeiro passo para a cura”. (Ibn Sina ou Avicena, médico e filósofo árabe) Brusque/SC -03- Solidariedade Dilson Ferreira da Silva "A solidariedade é o sentimento que melhor expressa o respeito pela dignidade humana." (Franz Kafka) Solidariedade! Com essa pandemia, a paz se abalou... Ruas desertas. A quarentena encerra nossa calma; instala-se planos de guerra contra o invisível mal que nos atacou. Medo do vírus, que o pânico criou: - Fiquem em casa!!! Cada governo berra. Famílias, que o seu ente querido enterra, até parecendo que a terra parou. Higiene, à beira de um ataque de nervos, e Deus pergunta pela fé de seus servos, porque a fé contra o mal, sempre funcionou. A terra parou! Isto é pura verdade! Mas, inda bem que a solidariedade do amor ao próximo, isto sim, não parou. 09/04/2020 - dilsonpoeta - /NATAL/RN. -04- Guerra Sandro Toledo Rocco Desde os primórdios da Humanidade, em tempos imemoriais, O Homem se impôs à força sobre as intempéries e os animais, E soube arrebatar conforto e alimento de um cenário infecundo... Buscou em seu âmago uma agressividade inata e essencial, Usou seu discernimento para superar obstáculos sem igual, E ganhou assim o direito de se proclamar “senhor do mundo”... Entretanto, nesse processo, perdeu seu espírito benevolente; Diante de tantas agruras, tornou-se frio, belicoso, pungente, A ponto de voltar-se contra outros de sua própria linhagem... Eis que irmãos confrontam irmãos, num embate quixotesco! Todos os valores morais se deturpam, num desígnio pitoresco, E tudo que importa é a fúria, a força, a astúcia e a coragem... O mesmo sangue flui nas veias, entretanto, é vertido à terra, Quando, num frenesi obscuro, ergue-se um brado: “Guerra!”, E o próprio planeta estremece, diante desse malfadado horror... Que ocorreu com a nossa psiquê divinal, com nossa devoção? Que fizemos da fraternidade incipiente, da nossa compaixão? Será que ainda encontramos na alma resquícios de Amor...? Dá-se ao armamento uma valorização irracional, sem sentido! É irrelevante que as pessoas tenham se desgraçado, ou morrido, O que importa é saciar nossa avidez desmensurada pelo Poder... E muitos dos valores se perdem, nesse tresloucado processo; É sobre os ossos de nossos semelhantes que se obtém sucesso, É com sangue que brindamos, por conseguirmos sobreviver! Lágrimas de viúvas e órfãos banham o solo, agora esmaecido, Já que o arado, primordial ferramenta, encontra-se esquecido, Substituído por um fuzil, um sabre, ou mesmo por um canhão! Que pérfida malevolência é essa, que nos torna desprezíveis? Será que nos tornamos, realmente, tão perversos e insensíveis, A ponto de não darmos ouvidos ao nosso próprio coração?... Os louros conquistados não ressarcem os méritos já perdidos; O chão tomado não compensa os valores morais desvanecidos! Um legado de morte não pode vir a reparar o que ganhamos... O caráter e a honra que nos define não se mensura em ouro; E talvez um dia nos conscientizemos que nosso maior tesouro É a própria Vida, a qual tão tolamente nós menosprezamos!... Santa Albertina/SP -05- Lorena Boing

Balneário Camboriú/SC -06- Lorena Boing

Balneário Camboriú/SC -07- Metafisica do Viver Márcio Antonio Passos Della-Cella Vida, flutuante cais que corpos anseiam; Reluzente clarão dos externos sentidos; Alicerce das dores, palco dos gemidos; Solo em que todas as células permeiam. Oh! indolente, teus caudalosos fluidos Vertem incessantes donde semeiam... As mesmas entranhas em que floreiam Os ilusórios átomos dos teus tecidos. Aprisionas, destra, forte, ardil A Alma à humana existência, pueril, Frágil e efêmera como um aceno... Expurga esta quimera, âncora do porvir... Almeja entre o buscar e o consentir, O despertar deste cárcere terreno. Ubaíra/BA, 10/04/2020. -08- Negro e Ser Negra Luz A Negra que eu quero ser: Liberta. Forra de uma ancestralidade, Que emerge na realidade, De dor, De ferros, De troncos... A Negra que eu quero ser: Livre. Tem uma nova identidade ... Fez pacto com a felicidade É leve para viver o amor. Nem viveu a senzala. Nem se favelizou. A Negra que eu quero ser: Revoada. Não está sozinha. Não é realidade isolada. Quer se sentir em casa. Ter, em todos, os lugares falas de irmãos de sua cor. A Negra que eu quero ser: Sonho. Utópica, ainda é retórica. É sombra dos meus desejos. Se reflete no meu espelho. Em regra, é luta E busca por sobreviver, Por liberdade para ser Negro e Ser. Salvador/BA -09- Mulheres e Crianças Abaladas Mirian Arceno Rocha

Balneário Camboriú/SC


-10- Todos Somos Um Patrícia Di Loreto

Tamanho: 100 x 130 cm Técnica: acrilica, óleo, colagem sobre tela Ano: 2020 Florianópolis/SC -11- Corona V. Patrícia Di Loreto

Tamanho: 130 x 100cm Técnica: acrilica, eo, giz, oleo, colagem sobre tela Ano: 2020 Florianópolis/SC -12- Falando com Deus Akasha De Lioncourt Se eu quiser falar com Deus, Tenho que amar demais, Tenho que aceitar meus ais, Tenho que não temer jamais. E, se eu quiser falar com Deus, Preciso aceitar que erro, por que não? Redimir minha culpa com o perdão, Que Ele mesmo me ensinou e não foi em vão. Mas para falar com Deus, Não precisa uma enorme preparação, Basta ter dentro do coração, A sinceridade, o amor e o perdão. Se eu quiser falar com Deus, Tenho que aceitar o Pai, Colher dele o amor que nunca trai, E dividi-lo com quem longe Dele vai. E, falando sempre com Deus, Não há como afastar-se demais, Não precisarei temer jamais, E viverei feliz, em paz, com todos os demais. São Paulo/SP - fevereiro/2008 -13- Ácida... Akasha De Lioncourt A dor que me corrói por dentro, Me come como ácido corrosivo, Não sei qual o motivo, não entendo, Preciso gritar e não consigo. A dor que me corrói por dentro, Me faz escrava de uma dor invisível Quando acordo desse pesadelo, Vejo que ele ainda está no começo. E me revolto contra o mau momento. A dor que me corrói por dentro, Não tem rima nem métrica, só sofrimento, Me fere com ferro e fogo, é meu tormento, E a cada golpe me marca a alma insana. A dor que me corrói por dentro não me mata, Apenas tortura, judia, transforma e retalha. Traz um turbilhão de anseios e sentimentos Cuja fusão não se encaixa, apenas atrapalha. A dor que me dói por dentro me consome, Minh'alma não resiste, e sucumbe, Entregue estou à minha própria sorte, Esperando o plácido momento de vida e morte. A dor que me corrói por dentro... invisível... Escreve em letras de fogo meu fim e minha sorte! São Paulo/SP - março/2007 -14- Natureza, divina Arte Diná Fernandes O homem com sua inteligência e seus objetivos pretensiosos sente muito pouco, usa a incoerência e atreve-se a macular o gracioso cenário chamado natureza a mais bela Arte do Criador criada com perfeição e beleza logo, não cabe a nenhum malfeitor invadir seu espaço, revirar a sua pele tingir de cinza a sua aquarela. Desalmado homem, não destrua sua casa, zele, abra em seu coração uma janela Lance seu olhar interpretativo, amoroso a vislumbre o triste painel, agora escurecido aquele que outrora colorido e majestoso hoje, por suas mãos, assim destruído. Cabedelo/PB -15- O Feio e o Belo Diná Fernandes A intuição sempre me brecava a ideia de caminhar Por um caminho ermo sem nenhuma atração. Meu olhar radiológico temia espinhos encontrar Acabei por enfrentar, sou dada à nova emoção Curiosidade à vista, galhos secos e retorcidos Causava uma sensação de medo Tolhiam meu equilíbrio, no corpo exaustão. Nada de belo ali existia, nenhum arvoredo Onde eu pudesse descansar e concatenar as ideias. Mente confusa que se acalmou com o canto do picanço Mirei o deserto, pensei; que bela odisseia! Odisseia implica em peripécias, fui no avanço... Senti algo novo desabrochar no pensamento, Alinhei a coluna, respirei fundo, medos expulsei. Desenhei um novo cenário, criei um novo momento E no novo caminho muitas belezas encontrei. Para o medo, pessimismo e relutância, Fechar as cortinas do não, Para as janelas do sim, toda audácia. Só a coragem oferece superação. Cabedelo/PB -16- Alma Marina Martinez Vais consertar a alma? De um sapato! Quem sabe, junto, levas a minha. Algum sapateiro mágico talvez possa reformá-la. Está com anacrônicos arranhões, matiz desbotado, talvez meio fora de moda, sem conjunto. Mas, fazer o quê? É minha e necessito conservá-la. É cúmplice de vida, perdas, ganhos, sonhos, felicidades. Pelo menos, arrisca: se se pode restaurar alma de sapato, que não a tem, talvez endireite uma alma humana descosida. Alguns pontos, camuflados, tinta nova, lustro discreto. Leva, não custa. Caso impossível o conserto, pelo menos ela saiu de mim e viu outros lugares. Quando voltar, será outra, mesmo não consertada ou polida. Impregnará meus sentidos, contará sobre desconhecidos ares, e saberei que, por mais incomodada, não me deixará, por certo. Porto Alegre/RS PARTICIPAÇÕES CONVIDADOS -01- Convidado da Confreira Patrícia Ferreira Manutenção da Vida na Terra Lindomar Bomfim O mundo passa por um difícil momento, No enfrentamento de uma pandemia. Causada por um vírus que só traz lamento, Atacando as pessoas com intensa vilania. E para controlá-lo, adotou-se o isolamento. Cientistas buscam uma vacina, Para conter o irremediável Mas a esperança, não está ali na esquina. Está em uma luta incansável Nas atitudes de solidariedade... No enfrentamento consciente... Seja no campo ou na cidade. Sem ignorar os cuidados a serem seguidos Colaborando com unidade e amor Estendendo a mão simbolicamente Valorizando os profissionais que estão no labor Não se deixando levar pela sorte Pois, cuidar da vida é evitar a morte. -02- Convidada da Confreira Negra Luz Há vida Genice Nogueira Há vida Há vida no planeta terra Há operários, equipamentos e máquinas Há bactérias, átomos e plasma Há atmosfera Há vida na terra Água, terra, fogo e ar Juntos, todos formam energia Energia de gastar, de manter Manter eu e você Um universo interdependente Gente, o que mais pensar? Somos únicos? Um plano, uma vida Todo um sistema mantido no ar Como imaginar? Nem sei o que pensar Desta mãe natureza tão surpreendente Cheia de gente Cheio de operários, equipamentos e máquinas Operando vidas Equipando os seres Unindo vida e trabalho Gerando energia pra todo lado Só precisa ter cuidado -03- Convidada da Confreira Negra Luz Mãe Bárbara Hupsel Logo, logo, vamos nos curar... Quando a mãe terra estiver Curada e preparada Vamos nos curar... Fora preciso esta pausa Para a Grande Mãe recuperar-se Das agressões sofridas Pela humanidade descontrolada, Ambiciosa e genocida... Fora preciso esta parada Para que este solo gentil Desse uma revigorada Expulsando o que lhe é hostil E volte a ser fértil e sadio! Então, a Mãe Terra voltará a ovular O ventre outrora maltratado, Queimado e violentado Voltará a gestar! Bolsas d'água vão jorrar Permeando o solo árido Semeando em rios e fontes Florestas e montes... Palmeiras e mangueirais, Seringueiras e canaviais Irão brotar do solo sagrado Como no passado Em louvor aos ancestrais! Precisamos nos curar Para sermos dignos Desta riqueza Que a natureza Nos devolverá... Cuidemos do nosso ecossistema Cuidemos na nossa Mãe Suprema Sejamos dignos desta gestação Salvemos nosso planeta, Salvemo-nos irmãos!!! -04- Convidado da Confreira Negra Luz Vamos Salvar O Mundo Romário Filho Vida, cada vez mais escassa... Falta ar puro, falta água, falta amor. Vida que deixou de ser colorida, tornou-se obscura, tamanha são as amarguras. O sol está triste, o mar poluído, chora e revoltado, inunda cidades. Os peixes estão morrendo, as rosas perderam o brilho, o perfume e murcharam. Florestas estão sendo devastadas, animais estão morrendo, não sei como vamos continuar vivendo. O meu coração entristeceu, me pergunto: O que aconteceu? Os pássaros não cantam mais, os poetas emudeceram, os rios morreram. Oh! O mundo está louco? Não! É a vida, pedindo socorro! Precisamos nos unir, para juntos, tentarmos salvar o mundo. Vamos dar manutenção à vida! Vamos cuidar! Vamos nos doar, Vamos amar! Vamos salvar o mundo! -05- Convidada da Confreira Negra Luz Caminho do Meio Dilu Machado No limiar do Samsara Vejo todo o nirvana No limiar do Samsara Eu ouço a voz do Lama: Sua voz transcende os ouvidos Ao ensinar-nos o Darma Sua mente é só compaixão Ao transmutar todo o carma Seu corpo é uma bela visão Guiando-nos para a Mandala “Não causes dor” “Faze o bem” “Dirija a mente” Tudo é amor Tudo é iluminação Tudo é sabedoria Tudo é perfeição Assim nos ensina o Lama da Libertação -06- Convidada da Confreira Diná Fernandes Manutenção da Vida na Terra Rosélia Bezerra Creio muito na força da natureza, Não dá para depreciar tal beleza, Sou pela sua manutenção, em ação, A Terra foi criada para bendição. Participantes na Teia fraternal, Somos elo cocriador e maternal, Nunca devemos tal ato rechaçar, Desconsideração má é desprezar. Vamos todos, unidos, bem coesos, Com sensatez, sairemos ilesos, Não dá para pecar pela omissão, Basta! Fora a covarde alienação. Vitória/ES -07- Convidado da Confreira Akasha De Lioncourt (sem título) Guto Pires Quando o planeta muda, você cuida? Quando o vírus se for você ainda irá parasitar? Cada um vive sua solidão Mas, a reflexão parece nunca VISITAR E vivemos tão sós que não nos sentimos. E por isso esse exagero de coisas. Esse endeusamento de não deuses. Essa mania velha e nova ao mesmo tempo de não se IMPORTAR.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page