top of page

172ª CIRANDA CAPPAZ – 2023


01

ABERTURA

ISTO É AMOR

José Maria de Jesus Raimundo Silva


Quando sentires,

A sensação de paz.

E puderes enxergar com os olhos

D'alma

E através dela tocar as flores,

Voar sobre as nuvens,

Circundar as estrelas,

Acompanhar as aves em seus cureos,

Mergulhar nas profundezas dos oceanos,

Caminhar nas florestas,

Quando puderes estender a sua mão

ao ente amado,

E viver cada instante mágico desta estranha magia,

Quando puderes sentir a presença sedutora

da mulher amada,

Através de carinhos, palavras

Na certa sentiras e viverás,

A magnitude das forças que emanam

do espírito.

Isto é amor

José Maria de Jesus Raimundo Silva


PARTICIPANTES DA 172ª CIRANDA – CAPPAZ – AMOR – PAZ – VIDA


1. Antônio Oliveira(Cardoso) (12)

2. Carlos Reinaldo de Souza (15)

3. Dido Oliveira (07)

4. Eda Bridi (11)

5. Helder Roque (14)

6. José Maria de Jesus Raimundo Silva (01) ABERTURA

7. José Maria de Jesus Raimundo Silva (04)

8. Joyce Lima Krischke (16)

9. Lourdes Ramos (09)

10. Lúcia Silva (19) ENCERRAMENTO

11. Marina Martinez (13)

12. Neneca Barbosa (08)

13. Roseleide Farias (18)

14. Roseli Farias Roque (03)

15. Roseli Farias Roque (05)

16. Sandra Lúcia de Souza Santos (17)

17. Salomé Pires (02)

18. Tânia Maria de Souza (10)

19. Vilson Lavor Holanda (06)


02

AH! SE TODOS A VISSEM!

Autora: Salomé Pires


Agradeço ao Universo

Por ser capaz de enxergar

A beleza em sintonia,

Por sentir a poesia,

Em cada canto e lugar,


Agradeço o ser capaz

De perceber a beleza,

Das estrelas e da lua,

Nas florestas e na rua,

Nos versos da natureza,


Esta sensibilidade,

Que sempre levo comigo,

Mostra-me todas as rimas,

As artes, matérias-primas,

É para alma, eterno abrigo!


Sim, eu vejo poesia,

Ah! Se eles pudessem ver,

Com os olhos bem abertos,

Mesmo nos dias incertos,

Tanta paz iriam ter...!


03

PAZ

Roseli Farias Roque


Temos que ter serenidade e humildade para manter a paz.

Cultivar o amor sempre.

Precisamos de paz interior pois é prioridade.


A tranquilidade faz parte da paz.

Temos que valorizar a serenidade.

Precisamos sair da escuridão para trazer luz ao nosso redor.


Paz é calmaria no espírito

Não se perder no caminho

Encarar as batalhas diárias da vida e enfrentar com coragem e sabedoria para manter paz na terra e no espírito.


Precisamos de calmarias nas tormentas para nos completar na tempera.

Já temos grandes lições da ignorância da guerra.


Na guerra não há poesia.

Não podemos transformar a paz em versos de sangue.

Temos que ter controle para manter a paz e voltar a Amar.


Setembro 2023


04

PAZ

José Maria de Jesus Raimundo Silva


Paz é...

Dever e obrigação.

Consta nas Leis Divinas.

Paz é...

Direito e exige respeito

aos nossos semelhantes,

A natureza e a todos os seres

que nela povoam.

Paz é...

Banir o egoísmo, orgulho, injustiças,

Cóleras, inveja, sequestros,

Preconceitos, intrigas, guerras,

Homicídios, furtos, assaltos, estupros.

Paz é...

Combater as corrupções, e punir com vigor.

A paz é fruto da partilha, Caridade e Amor.

Paz...

Fruto da Justiça.

Jesus, o Príncipe da Paz,

Deixou-nos uma mensagem:

"Bem-aventurados os que promovem a paz,

Porque serão chamados filhos de Deus"

A paz...

depende de mim e de você.


05

VIDA

Roseli Farias Roque


Vida é ouvir o passar do vento

É um nascimento

Vida é sentir que no nosso caminho existem pessoas que aquecem nosso coração.


Vida é ver alguém estendendo a mão a outra pessoa.

Vida é ver gente que entra na nossa vida sem pedir licença e rouba nosso afeto.


Vida, é ter pessoas que tocam nossos sorrisos e nos tiram as melhores gargalhadas.

É ouvir o assovio do vento e nessa carona sentirmos saudades.


Vida é enxergar a luz do dia é emissão sentir a afeição e a doçura no olhar de uma criança.


Vida é aportar no coração de alguém e sentir esse verdadeiro afeto de bem querer.


16.09.2023


06

O AMOR VENCERÁ

Vilson Lavor Holanda.


O bem sempre vence

Sob o comando do amor.

Nada, na vida, me convence

A viver o desamor.


A essência da vida é o amor,

Por ele tudo é regido

E tudo tem o seu sabor;

Por amor tudo é permitido.


Por um ato de amor nascemos,

Vivendo no amor crescemos,

Na força do amor sobrevivemos

E sempre venceremos!


07

FELICIDADE CANTA

Dido Oliveira


Felicidade é uma coisa assim

Que invade o meu coração

Como o sorriso de uma criança

Trazendo esperança de um mundo melhor

Pra gente viver

Por todo lado sei que vou caminhar

E uma estrela lá no céu vai brilhar

Trazendo luz, energia e amor

Pra esse mundo que eu estou

Querendo ver toda a paz reinar

Vou cantar pelo mundo essa canção

Quero ouvir

A gente caminhar sempre junto

Na mesma direção

Vou cantar levando toda a minha emoção

Um caminho cheio de paz, amor, união.


08

PERFUME DA PRIMAVERA

Neneca Barbosa


É tempo novo com o anunciado da primavera!

As larvas transformam-se em cigarras que cantam

alegres, trazendo mensagem de uma nova era,

num misto de felicidade elas dançam.


A primavera traz a magia do colorido

presenteando os pássaros com o néctar das flores.

Abelhas se deleitam com o pólen embebido,

felizes doam o mel colhido nas multiflores.


No belo da primavera nasce a inspiração,

sorvida pelos amantes da arte com amor.

Ode que se forma do florescer da estação,

e pela fragrância divina de cada flor.


Um perfume é exalado das flores do jardim,

inebriando todo meu corpo, de pura essência...

As gotículas de orvalho que caem sobre mim

servem para a metamorfose da minha existência!


João Pessoa, PB


09

A SAGA DE JOÃO E MARIA

Lourdes Ramos


Eram tal qual a noite e o dia

Nunca deveriam se encontrar

Um era descendente da Bahia

O outro foi nascido além-mar


Mas, talvez por grande ironia

Na ousadia do nobre destino

Por amor, paixão ou porfia

Ou por simples querer divino


Viriam os dois a se enamorar

Como por fábula ou fantasia

Viajando por terra e por mar

Viveriam o amor e a magia


Pois a bela deusa da Fortuna

A cornucópia em sua mão

Quis preencher esta lacuna

Dentro de cada do coração


Vendo que no mundo existia

Um João para aquela Maria...


Ah! Os dois puderam se amar

Unindo assim, a noite e o dia!


10

FAÇA CHUVA OU FAÇA SOL

Tânia Maria de Souza


Eu vejo chover flores

Que molham a terra de cores

Eu sinto ventar sentimentos

Que enchem o coração de alento


Não reclamo do tempo

Nem do vento

A chuva traz a paz

O sol traz movimento


Me delicio com cada arrebol

mas também quando some o sol...

É necessária a escuridão

Para o dia chegar bonitão!


11

AMOR À VIDA

Eda Bridi


Num final de tarde, da janela de minha residência, fiquei a observar uma pombinha rolar num ninho que fizera sobre galhos de uma das árvores (jacarandás), na Rua Paulino Bridi, esquina com Av. João Antônio, em Sobradinho – RS. Logo em seguida, ela voou, e vi dois ovinhos que ela estaria cochando. Todos os dias, eu olhava para o ninho para me certificar se os filhotinhos teriam nascido, e sempre os dois ovinhos. A pombinha, não a vi mais. Teria ela migrado para outro lugar? Penso que não. Pombinha não abandona o ninho. Terá tido ela morte natural ou algum acidente, vítima da voracidade de um gato, talvez? Ou alvo de um bodoque? E os ovinhos acabaram apodrecendo ... Triste fim!

No parapeito da mesma janela, formigas enfileiradas passavam, carregando pedaços de folhas verdes, possivelmente das mesmas árvores, pois seus galhos encostam na parede do prédio. Pareciam pesados para a fragilidade de suas estruturas físicas. Ao encontrar algum obstáculo, as formigas caíam, mas não desanimavam. Levantavam e continuavam levando o alimento para abastecer a mesa do formigueiro. Pela direção, da esquerda para a direita, o caminho que tomavam, depois de descer do terceiro piso, pela parede, chegariam ao ninho, no pátio. Não fui conferir. Suponho que seja lá o destino. Ou tomaram outro caminho na vizinhança.

Por que narrar fatos tão simples, tão naturais, tão conhecidos? Porque são histórias de vida de seres frágeis, ao nosso olhar, porém fortes na luta pela sobrevivência. Eles têm toda uma sabedoria. A pombinha construiu o ninho sobre galhos, no centro da copa da árvore, local seguro à queda e ao vento. Se os filhotes tivessem nascido, estariam bem protegidos até alçarem voo. Porém faltou-lhes o calor da mãe para dá-los à luz.

As formigas lembram a fábula “A Cigarra e a Formiga”. No verão, a alegre cigarra cantava, enquanto a sábia formiga abastecia seu celeiro. E o que aconteceu quando o inverno chegou? As cigarras não foram previdentes.

O esforço das formigas me faz pensar nas minhas experiências ao enfrentar dificuldades que a vida apresenta, e que eu tenha sempre a persistência delas para não desanimar diante dos percalços.

Quero ter também a alegria das cigarras para cantar a beleza da vida e festejar o amor à vida. Cantar é arte. O que seria do verão sem a sinfonia das felizes cigarras? E, com certeza, elas organizam o seu celeiro a seu modo. A natureza é sábia! Por que não as formigas repartirem com as cigarras as provisões, e as cigarras cantarem para as formigas? Que tal essa sintonia no mundo dos homens?


Sobradinho – RS

Setembro/2023


12

AMOR PAZ E VIDA

Cardoso


O trio da verdade

Amor Paz e Vida

São pilares para o mundo

Na condução da humanidade


Se a guerra é marcante

Na mente dos mandantes

Sinto falta da consciência

Sabedoria paz e união


Os humanos vêm querendo

Na contramão acertar

O caminho da cacimba

No avatar dos sertões


O Amor Paz e Vida

Na alma nidificar

Sendo tudo harmonizado

Para vida desabrochar


Amor Paz e Vida

É o grito na garganta

O pulsar das nossas veias

E o enredo do coração.


09/2023


13

VIDA: TODOS POR TODOS?

Marina Martinez


Segura, em meu sofá, avalio notícias parciais.

Quantas aparições sofridas!

O homem mau de hoje pode ter sido bom.

O bom, pode ser mau, a qualquer momento.

Nunca saberemos o que ele pensa.

Com desespero ou fome consegue salvar.

Também mata. Por desesperança ou crença.

Amor e ódio, tão parecidos, variam em intensidade,

como a remissão, alegria, o perdão, o olhar.

Por algo estamos neste mundo, isto é certo.

Seja ele quadrado, redondo, importa pouco.

Hoje, o sinto quase disforme, triste e louco.

Podem aparecer, quando eu chorar,

sinais de respeito, sem preconceito,

compreensão, vontade de ajudar.

Quem ou o que me importa?

Lastimar quem está longe? Auxiliar quem está perto?

No conforto de casa, protegida,

cabe apenas a mim decidir.

Antes de um novo noticiário começar.


14

A MAGIA DO AMOR

Helder Roque


No céu um lindo arco-íris

Se estende aos teus pés

É a estrada da felicidade

O caminho das emoções


Danças entre as estrelas

Os teus poemas, declamas

Quanto prazer em ser amada

Tão desejada e acarinhada


O amor tem magia

É alegria e fantasia

É o mundo das paixões

Onde aquece os corações


30/SET/23


15

O QUÊ É VIDA?

Carlos Reinaldo de Souza


- O quê é vida? pergunta inocente

uma criança, bem no alvorecer

de uma existência ainda incipiente

e, sem resposta, espera o entardecer.

- O quê é vida? pergunta ansioso

o adolescente, no verdor dos anos;

de combater as tramas temeroso

e, sem resposta, elabora seus planos.


- O quê é vida? pergunta perplexo,

entre pelejas e duros embates,

o homem maduro, no mundo complexo.


- O quê é vida? o idoso responde,

face marcada por muitos combates:

- Vida é o amor que na alma se esconde!


Lafayette - MG


16

CRIANÇA INDEFESA QUE ABRIGUEI EM MIM - VIDA*

Joyce Lima Krischke

(Narrativa de vida)

Vida! Liberdade! Vida!

Todos clamam e exigem!

Vida no planeta TERRA!


Mas há uma vida pequena.

Muito pequena e indefesa.

Vida de direito e sem voz.


Recordo-me, num passado distante,

Uma gravidez de risco. Vida em risco.

Vidas em risco. Questionamentos...

Liberada pelas autoridades.

Para interromper a gestação.

Decidi enfrentar o risco.


Risco não é certeza. É possibilidade.

Decisão é responsabilidade.

Decidi pela vida. Pelas duas vidas.

Eu estou aqui. Viva! Viva!

Meu bebê nasceu, cresceu.

Muitas alegrias me deu.


Passados os anos, meu bebê,

Hoje médica - ginecologista


ABRE ESPAÇOS PRA VIDAS

ENTRAREM NO MUNDO- PLANETA TERRA

VIVAS!


• Homenagem à minha filha Joelma Krischke Sebastiany

• Medica ginecologista , especialista em ultrassonografia


17

O AMOR NÃO DOE

Sandra Lúcia


O amor não doe.

O coração arde de paixão

Quando o amor está em erupção.

O desejo incontido no peito

É a presença de desapego.


Quem ama é livre, flutua nas margens do tempo

E acalenta, o contentamento.

Quem ama não sofre – é prestativo,

Quem ama não chora – se alegra internamente,

Quem ama não castiga – liberta as amarras da vida.


Quem ama não espera,

Não faz expectativas – é eternamente feliz.

Quem ama vence todas as dificuldades da vida.

Quem ama não entristece – compreende e transforma

As tempestades em poesia,

Feito crianças brincando na chuva….


Quem ama é feliz, sorri e tem fé inabalável.

Tudo suporta e ora,

Para que seus amados

Sejam felizes e abençoados!


FIM


18

QUANDO SETEMBRO VIER

Roseleide Farias


Quando setembro vier

Vou sentir o cheiro das flores

Com o coração cheio de esperança

Acalmarei as minhas dores.


Quando setembro vier

Sentirei mais forte a falta de alguém

Buscarei o mar, o vento, chuva ou sol

As promessas contidas no além.


Setembro chegou e se foi

As árvores trazem flores para os frutos colhermos

Outubro chegou e também fico feliz

Nesta cidade próspera e bela!


05/10/2023


19

ENCERRAMENTO

FRANCISCO DE ASSIS

Lúcia Silva


São Francisco

Dos nossos animais, protetor,

Da natureza,

Irmão e implacável defensor.

Louvado sejais,

Ícone da Confraria CAPPAZ!

Seu testemunho

Inspira e nos conduz

Na missão

De semear a paz

No mundo!


Encerro a ciranda com um OVERTRIP em homenagem a um dos nossos Ícones, São Francisco.


172ª CIRANDA CAPPAZ – PARTE LIVRE


01 ABERTURA

A SEMENTE DO BEM

Vilson Lavor Holanda


A semente do bem

É uma semente fértil

Que não germina

No coração estéril,

Seco,

Da alma melancólica, vazia;

Germina facilmente

No coração sereno,

Feliz,

Repleto de paz,

Da alma alegre,

Reluzente.


.

PARTICIPANTES


1. Dido Oliveira (03)

2. Jouglas Simão (02)

3. Lourdes Ramos (04)

4. Lúcia de Fátima Silva (08)

5. Marina Martinez (06)

6. Romário Filho (05)

7. Sandra Lúcia de Souza Santos (09)

8. Suely Ravache (07)

9. Vilson Lavor Holanda (01) ABERTURA


02

A MULHER

Jouglas Simão


De um peito cravado de balas.

Quem salvou foi mulher,

Num campo repleto de areia,(Peito do Homem)

Quem plantou flor, foi mulher...

Numa vida solitária em um jardim

Solitário,

Quem surgiu foi a mulher,

De uma costela que não prestava,

Surgiu a mãe, a vó e a mulher,

A Filha, a Tia e a prima,

A irmã, a neta e a sobrinha

E só depois....

Somente depois

É que veio de dentro da jóia mais rara,

O homem e a menina

Que um dia

Se tornam avós.


03

ANDAR DESCALÇO

Dido Oliveira

Vou andar descalço, como fizera quando criança lá na roça,

Sentindo toda a sutileza, toda a energia que vinha da terra.

Terra de estradas caminhadas com prazer

Saltitante e imitando pássaros cantando, ou tentando imitá-los.

Divagando...

O canto sutil do beija-flor

Congelava a rosa de amor

Ou o canto do curió, canto maior, longo, sem fim

Que quando parava, continuava reverberando sutilmente dentro de mim


Já faz tanto tempo que caminhei descaço,

Que parei de fazer isso,

Mas a mente, não mente, continua caminhando

Sentindo falta desse caminhar alheio, sem compromisso

Sem medo de ser feliz de novo.

E eu vou, eu vou caminhar descalço de novo

Sei que não há mais estradas como aquelas

De chão e mato por todos os lados

Com cheiro de barro, com poças d´águas para pular,

Pular cada vez mais longe e até me esborrachar,

Escorregar, bater a cabeça no chão

Ficar tudo escuro, anoitecer de repente...

Que susto! Não é justo acabar com a brincadeira

De um pula, pula de criança tão feliz, ingênua, tão dona da vida.

Mas a luz foi voltando, voltando e nunca mais me abandonou

Sou tocado sempre pela luz maior, luz divina, a luz de Deus.


04

ASAS AO CORAÇÃO

Lourdes Ramos


Nas asas do sentir, busco ser emoção

Revelando assim, o que jamais direi

Sem ter dado lugar ao meu coração


E voar para além da razão, é viajar

Pelas eras em que libertária serei

Sentindo a brisa suave a me tocar


Além da noite, do dia, além de mim

E assim, além do ser ou do não ser

Ouvirei os sons do coração, enfim!


05

SEM VOCÊ

Romário Filho


Eu sou um corpo sem alma...

Um dia sem o sol...

Um barco sem o mar...

Um jardim sem flores...

Uma noite sem luz...

Um carro sem rodas...

Um coqueiro sem coco...

Um pássaro sem asas...

Um pé descalço na calçada quente.

Sem você...

Eu sou um mundo vazio,

algo sombrio.

Sem você...

Eu sou uma ilha,

um pedaço de terra,

cercado de lágrimas


26/09/2023

02:29:57


06

COSTURANDO O TEMPO COM AMOR E PAZ (15.03.22)

Marina Martinez


Uma amiga perguntou o que eu gostaria de costurar, na vida. Pergunta interessante.

Bordar em cima dos erros p que desapareçam? Sei não. Por vezes, erros são bons mestres. Podem ser dolorosos e doloridos, deixarem lembranças, marcarem muito. Mas, mesmos bordados, coloridos, enfeitados, iriam sumir? Vi cicatrizes virarem obras belíssimas, com tatuagens. Apenas adquiriram novas formas e cores. Pararam de doer. Transformaram-se. Não desapareceram. Ressurgiram como beleza.

Costurar verdades nas bocas das pessoas. Quem sou eu para fazer isso! Cada cabeça, uma sentença, cada boca uma verdade. Às vezes, há um coro de certezas ecoando juntas. Mas, muitas vezes, crenças individuais são legítimas! A minha verdade pode não ser igual a de todos ao redor mas não significa ser menos real do que as outras. Na minha visão, verdades podem ser difundidas, discutidas até, mas jamais costuradas nas bocas das pessoas. São unas, particulares, nasceram para serem respeitadas. Mesmo quando não concordamos com elas.

Perdão na alma e bondade na mão. Confesso, amiga, não ter capacidade para tanto. Ao longo da vida aprendi que posso perdoar apenas a mim. Busco entender os outros, auxiliar dentro do meu possível mas entendi ser o perdão, no sentido de remissão, uma busca particular, interna, custosa e difícil. Precisei de muito tempo para perceber atitudes minhas que prejudicaram pessoas ou a mim. Quando as entendi, consegui me perdoar por algumas dessas atitudes. Posso compreender, ouvir, orientar, mas não perdoar. Não por maldade ou vingança, apenas por não me sentir capacitada a ir além das minhas emoções. Acredito que cabe a cada pessoa se perdoar ou aos outros. Desde que não seja apenas da boca para fora. Quanto à bondade nas mãos, costurá-la para quê? Para que não fuja? Acredito que a temos ou não. E ela pode estar no tom de voz, no olhar, na fala. Por que aprisioná-la?

Remendar um Coração partido? Por que não? Conheço trabalhos artesanais maravilhoso nessa área. Alguns, com costuras elaboradas, linhas especiais e cores vibrantes. Outros, bem mais simples, mas impregnados do mesmo carinho. Essa é uma costura na qual vale a pena investir. Arrematadas com paz e amor.

Felicidade em todo lugar. Belíssimo desejo, mesmo que impossível. Tanto quanto esperança e coragem. Juro, se fosse possível, até aprenderia a bordar, costurar, alinhavar, o necessário para ver pessoas mais felizes, esperançosas e com coragem. Mas sinto que esbarramos de novo no lado individual, no crescimento pessoal e espiritual. E sempre me pergunto: o que é felicidade?

Costurar a saudade no fundo do baú para ela não fugir. Creio q saudade não foge do fundo de baú. Ela se acomoda, enrodilhada em suas lembranças, e fica à espreita de qualquer descuido nosso. Levanta a cabeça, nos mordisca, qual cobra venenosa, e volta ao seu conforto, até o próximo ataque. Costurá-la não a impedirá e teremos perdido tempo, linha e expectativas.

Bem no bem, bem sobre mal. Mais um desejo louvável e impossível. Aumentar o bem, remendar o mal me representa a longa luta da Humanidade. Muitas linhas ensanguentadas foram usadas nessas costuras históricas,

Pessoas que gostamos por perto. Seria boa não fosse egoísta tal costura! Por melhor e mais bonito esse bordado, acredito que nem devemos pensar muito nele. Cada ser humano tem um destino. Às vezes, perto daqueles que os amam e amparam. Outras vezes, longe. Prendê-los, mesmo com linhas sutis e multicoloridas, cheias da nossa boa-vontade, seria aprisioná-los de forma cruel. Sem crescimento.


07

MAGIA DO PALCO

Suely Ravache


Alma que vibra

contagiada pela emoção

entrega-se languidamente

de corpo e de coração


Por todo o espaço desliza

das danças é aprendiz

faz do xale suas asas, suaviza

etérea… em movimentos, feliz!


Não dissimula, nem disfarça

o tablado hipnotiza, tem magia

contagia, arrebata e enlaça

prende como a malha de tarrafa


Deixa no ser impregnado

gostinho ‘de quero mais’, alegria pura

pois, na energia de um bailado

a arte dançante é elixir… depura, cura!


(Cigana Poetisa)

FESTIVAL DE DANÇA DE JOINVILLE - 2022


08

PRIMAVEREI

Lúcia Silva


Hoje primaverei

No sol que brilha

Nos girassóis

Nas cores das flores

No bailado

Dos pássaros no céu!

Alma floresce

Traz paz ao corpo

Coração sorri

É tempo de leveza

Respiro primavera!


09

A NOSSA MÚSICA

Sandra Lúcia


Ouço a nossa música

Prometendo momentos inesquecíveis

E me deixo flutuar

Em horizontes sem fim.


Onde encontro o teu sorriso

Demonstrando a alegria que nos envolve

Naufragando em beijos

Toda saudade que suportamos.


E caminhamos

Flutuando em nuvens cristalinas

A volúpia do nosso amor….


Me aqueço em teus braços

No mágico recomeço dos passos

Que deixaram na leveza do tempo,

Os delírios de amor.


Uma paixão incandescente

Que arde em nossos corpos

A chama que nos transforma

Em um único ser… e adormecemos…


Saudade!

Muita saudade

De você meu amor!

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page