Belo Horizonte.jpg
paulojosefoto.jpg

Paulo José de Oliveira

Sobre

Paulo José de Oliveira, ou Paulo José, ou Pajo (em homenagem aos povos Indígenas) ou Amrit Prabhú (Nome Espiritual). 

Ativista e Gestor Eco Ambiental, Classista, Holístico, Humanista e Sociocultural.

Diretor Proprietário da AGÊNCIA PAJOOL CLUSTER DE ASSESSORIA, CONSULTORIA E SERVIÇOS - AG Cluster; Coordenador da AG Cluster Comunicação e Mkt. Escritor e poeta com alguns livros e trabalhos publicados;
VIDA ACADÊMICA: - Bacharel em Turismo pela Faculdade de Turismo – FATUR do Centro Universitário de Formiga – FUOM/UNIFOR/MG; - Educador Ambiental pela Universidade de Brasília (DF) – UnB; - Técnico em Eventos pelo Instituto Federal de Educação Tecnológica – IFET; Especializado em Gestão de Projetos - UFRJ/SENAC/DF/MinC - e com vários outros cursos técnicos;

Embaixador Universal da Paz - RCO MG - Brasil – pelo Círculo de Embaixadores da Paz (Cercle Univ. Ambassadeurs de la Paix) - França/Suécia; Comendador da Cultura – pela CMS/Serra/ES; Comendador Humanitário da Paz - WTO/ONU/Brasil; Condecorado com a Coroa Imperial de Petrópolis – PMP – Petrópolis/RJ; Condecorado com a Medalha de “Honra ao Mérito” pela Academia Mineira de Letras – AMLBH-MG; Condecorado com o “Troféu Carlos Drumond” de Andrade, pela atuação na área da cultura – EF-PMI – Itabira MG; Condecorado com o “Troféu Carlos Chagas”, pela atuação na área da Saúde – EF-PMI – Itabira-MG; Condecorado com o título de Honra Ao Mérito – Pela Academia Nacional e Internacional de Ciências, Artes e Letras – ANICAL e pelo Clube Brasileiro da Língua Portuguesa – CBLP; Com vários títulos de Honra ao Mérito pela Câmara Municipal de Formiga; Membro Ativista da Anistia Internacional (AI-Brasil), com participação na Rede de Ação Urgente RAU e na defesa dos Povos e Nações Indígenas; Coordenador do Cluster Indigenista Solidário – C´INDIO`S; Governador em MG da Associação Internacional de Poetas – GMG-AIP-Brasil, Coordenador do COLECULT Atelier das Artes e das Ongs (Funarte/MinC); Diretor da AG Cluster Residência Artística (Funarte-MinC); Fundador e atual Presidente da Academia Formiguense de Letras – AFL; Fundador e Presidente do Clube Literário Marconi Montoli – CLMM; Fundador e Conselheiro do Clube Literário Ler é Vida e Saber – LEVISA; Diretor Secretário da Federação das Academias de Letras e Entidades Culturais de Minas Gerais – FALEMG; Membro Correspondente da Federação Brasileira de Alternativos Culturais – FEBAC-São Paulo-SP; Acadêmico Efetivo da Academia de Letras, Artes e Ciências do Brasil- ALACIB/MarianaMG; Acadêmico Correspondente da Academia de Letras e Artes de Ribeirão das Neves – ANELCA; Acadêmico Correspondente da Academia de Letras e Artes da Serra - Serra/ES; Acadêmico Correspondente da Academia Lavrense de Letras – ALL; Membro do Grupo de Acadêmicos e Historiadores de Minas Gerais – GAHMG/Lavras-MG; Membro Correspondente do Clube de Trovadores e Poetas Capixabas - CTC – hoje ACLAPT - Serra/ES; Delegado Regional (CO/MG) da União Brasileira de Trovadores - UBT/MG; Membro da Associação Poetas e Escritores Pela Paz – PEAPAZ; Fundador e Diretor Conselheiro da Associação dos Amigos da Cultura da Cidade de Formiga – AACCF;

Fundador e Presidente do 7ª Arte Cine Clube Formiga - 7ª Arte; Membro da Assembléia da Fundação Universitária do Oeste de Minas - FUOM (Mantenedora do Centro Universitário de Formiga - UNIFOR/MG); Membro da Associação Internacional Poetas Del Mundo, Membro do Internacional Grupo À.G.U.I.A. - Águia Pajo - Porto Alegre – RS; Foi membro do Conselho Consultivo e Deliberativo do Conselho Estadual de Cultura de MG 2014/2016 - CONSEC/MG; Diretor Conselheiro da Associação Cultural e Teatral Taliquale - Cia. Taliquale; Fundador e Curador da Biblioteca Comunitária da Saúde – BIBLIOSÃ; Fundador e Curador da Biblioteca Comunitária Formiga de Letras – BIBLIOFOLE; Fundador e Presidente do Clube Formiguense de Filatelia, Numismática e Telecartofilia – FORFINUTE; Fundador da Associação dos Grupos de Folias de Reis de Candeias/MG – ASFOREIS; Fundador e membro da Irmandade do Congado de Nossa Senhora da Conceição de Formiga – IRMONSC; Membro do GRUMIN / Rede de Comunicação Indígena; Coordenador do Coletivo Formiguense Livre de Arte, Culturas Populares, Mística e Eco Social, e Tradição de Formiga – COLECULT Atelier de Ongs e Artes; Foi membro do Colegiado da escola Estadual Dr. Abílio Machado em Formiga – Colegiado POLIVALENTE;

Foi membro do Colegiado da Faculdade de Turismo – FATUR/UNIFOR-MG; Ex-Colunista do Jornal O Pergaminho, escrevendo atualmente para vários outros Jornais; Fundador e Diretor Redator do Jornal Folie Folie, da APROSAM; Diretor e redator do Jornal A Gazeta online – Sucursal Formiga; Editor e redator de vários periódicos e Boletins; Ex- Coordenador de Comunicação e Mkt da Santa Casa de Caridade de Formiga; Curador de Várias Exposições e Mostras Sócio Culturais: - Foi o organizador e Presidente do Congresso Brasileiro de Poetas e Trovadores em Formiga-MG;

- Organizador e Curador da Exposição Fotográfica de Sebastião Salgado, em Formiga-MG;
- Organizador e Curador da I Exposição Filatélica de Formiga – EXPOFIFOR;
- Organizador e Curador do Concurso Filatélico Sr. Perez;
Autor do Livro “Do Cultivar ao Colher – Guia Histórico da Saúde” (2004);
Autor do Livro “A Sinfonia das Estações (2019);
Autor do Livro “Nos Anais do Coração” – no prelo;
Autor e Coordenador do projeto “Concurso Literário Troféu Formiga de Letras do CLMM”, já em sua 6ª edição;
Autor do projeto de publicação dos livros, já na 7ª edição: Ípsis Lítteris Revista Literária do CLMM”;
Participante das Antologias da Academia Formiguense de Letras (AFL), 1ª à 10ª edição;
Participou da Antologia Excrivaines de Paris – lançado no Salão do Livro de Paris;
Participou de várias outras antologias;
Membro da Ordem dos Seres Estelares - OUSE - Núcleo de Integração Cósmica;
Autor de inúmeros Projetos nas áreas eco - ambientais, culturais, humanísticas e sociais;
Recebeu inúmeras Menções Honrosas do Legislativo Formiguense;
Participou de inúmeros Congressos, Seminários e outros sobre cultura, humanísticos, meioambiente, social, saúde e segurança; - entre outros;
Participação em várias outras entidades.
Formiga e BH - MG – Brasil


Afilhado de Marcelo de Oliveira Souza
Confrade Efetivo.

As Quatro Estações
Paulo José de Oliveira

O passado ensina o presente a preparar o futuro
As quatro estações gestam a existência,
marcam o tempo no compasso
Somos a máquina mundi,
criada e operada pelo criador
Somos minúsculos seres,
simples partículas na vastidão sideral
Somos parte do macro e do microcosmo em desafios constantes
E nas constelações os corpos celestes não são estáticos
Meteoritos e meteoros circulam com misto de risco, pavor e beleza
Os genes, elétrons, nêutrons e prótons circulam
Tomando novas formas num constante desintegrar e reintegrar
O clima reage se alterando as agressões a cada solstício
Queimadas se alastram, o degelo desnuda blocos e invade praias
A temperatura oscila em extremos que ora aquece, ora resfria
A desertificação se instala em dimensões catastróficas
O aquecimento global transforma sua própria rotação
O efeito estufa compromete nossa proteção ozônia
A poeira cósmica se avoluma e os buracos negros proliferam
Epidemias e pandemias se alastram aqui e acolá
E Gaia tenta se aconchegar no colo intergaláctico
Alimenta-se dos raios solares e da sua hidrologia cíclica.
Em cada entardecer o sol tinge o horizonte buscando a noite
Exuberante a aurora boreal nos surpreende e fascina
O ciclo lunar com seu fascínio que ainda esconde mistérios
E eis a pequena lua com suas fases
Fascinante, interfere na rotação e transformação global
Gira a roda do tempo, gira a roda do mundo
Gira a roda da terra, gira a própria vida
A mãe gaia chora seus cataclismas e terremotos
Seus filhos lamentam os tsunamis e erupções
Os desregrados ciclos hidrológicos se perpetuam
Cursos d água exibem suas forças e se esparramam pelos vales
No semear, germinar, florir e colher refaz-se o verde
Mas na ganância do plantar o homem desnuda a terra
No germinar já se aprofunda o intoxicar do alimento
No florir não se cuida da vinda dos frutos
No colher não se pensa na irmandade e sim no capital
A ciência ensina o homem a singrar novos horizontes
A dominar o mundo e a própria vida
E o avanço nano-tecnológico
se torna um pequeno degrau nessa conquista
Incógnitos ETs em seus óvnis ainda aguçam o saber humano
O homem busca a cada dia desvendar o universo
Assim como o ácido a corroer o ferro,
ou as bactérias a consumir a matéria
E numa simples gota de orvalho a desprender da folha
Podem residir ainda,
Grandes e insondáveis mistérios.