Florianopolis b.jpg
josiasfoto.jpg

Josias Moreira de Alcantara

Sobre

Josias tem formação em Marketing pela Unopar, Didática do Ensino Superior Pela Uninter, Estudou mestrado na educação. É poeta, trovador, escritor, professor de oratória e de capacitação a professores, radialista, palestrante. Editou 11  livros, com destaque: A Descoberta do Brasil em Versos, De Negro a Afro-descendentes em Versos, A Magia da Expressão Verbal e tem mais 12 em processo. O Pequeno Príncipe em Versos, A cura das plantas em versos, Operação Lava Jato, Governantes do Brasil, Estados Brasileiros... O mais recente foi em 31 de março de 2019: CURITIBA EM VERSOS – a capital dos parques. É membro da UBT-União Brasileira de Trovadores, Acepai- Associação paranaense de autores Independentes, Academia Brasileira da Poesia Raul Leone de Niterói. Iniciou seu trabalho voluntariamente em projetos de incentivo a leitura na educação em 1996, de lá até aqui a caminhada foi grande, teve acesso a aproximadamente 400 mil alunos das redes municipais, estaduais e particulares no estado do Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Espírito Santo, ministrando palestras e capacitação à aproximadamente 10 mil professores. Suas palestras são personalizadas e únicas, por ser trovador de nomeada, utiliza a própria trova em suas palestras. Atualmente Josias é encarregado da restauração e pintura da ponte Colombo Salles, em Florianópolis e está formando em Fitoterapia e Auriculoterapia.

Afilhado de Roseli Farias
Confrade Efetivo.

A Mulher no Século XXI
Josias Moreira de Alcantara

A mulher é tida como a expressão maior da fertilidade humana.
Com o passar dos séculos, ignorada pelos dotes intelectuais.
Versejada por poetas, tal qual estrela de brilho sem fim.

Transformada em modelo comemorativo no dia das mães e no dia internacional da mulher.
Um dia é pintada de deusa, noutro transformada em musa.

No dia que se segue, é obrigada a disputar no mercado de trabalho a possibilidade de sobrevivência dos filhos e às vezes do homem que lhe compartilha o teto.
A mulher é dádiva múltipla na evolução existencial, cheia de sonhos, pecados, incompreensões, mas quase sempre a responsável em boa parte para a educação e caráter dos filhos.
A mulher é delicada tal qual botão de flor e enquanto criança, é frágil, doce e feminina.

Com o passar do tempo perde a inocência, escravizada por responsabilidades sem fim.
A mulher de hoje, quando se vê utopicamente uma modelo de porcelana, rompe as amarras da fantasia, chuta o pau da barraca, mostra sua personalidade funcional, e luta em todas as batalhas corriqueiras, para superar, às vezes, a incompetência de um homem sem brilho ou da sociedade machista.
Tão majestosa flor no trânsito da natureza, adulta e conciliadora no estreitamento familiar.

Amante afoita e companheira única para com o homem se faz.
Tem o dom de preservar o amor mesmo quando existe ódio.
Guerreira equilibrada no enfrentamento das dificuldades.

Foi outrora tão submissa pelo galante homem da caverna.

Hoje disputa e vence as mazelas da discriminação.
Em contrapartida já ocupa dois terços das cadeiras universitárias.

Os homens que se cuidem...
Mesmo assim, a mulher continua gerando em seu ventre a semente da prosperidade, a qual, independente do sexo, se for tratada com respeito e dignidade, em breve futuro, poderão os artistas e poetas obterem a redenção quanto as formas e traços que pintarão à mulher real, em telas ou em versos.

A mulher de hoje xinga, briga, joga futebol, bota a mão na massa, chora e ao mesmo tempo compartilha com sabedoria o espaço de sua conquista.
O homem representa 50% de uma ideia
A mulher os outros 50% no resultado
O homem somente constrói um lar, se houver uma mulher para preservá-lo.
Se unidos, trilharem os mesmo valores, teremos com certeza uma humanidade mais justa, de homens e mulheres, com a paz que a maioria almeja.
A hipocrisia discriminatória será finalmente vencida pela prudência e unidade de fé.
A mulher continuará sendo mulher e o homem não menos homem do que sempre foi.