Central.jpg
pedro.png

Pedro Pereira de Souza
(Pedro Viola)

Sobre

Nasceu no dia 03 de março de 1963, na cidade de Central-Bahia. É filho da saudosa Zulmira Ferreira de Souza, e do saudoso Miguel Pereira de Souza – Miguel Viola – o qual também era poeta, e grande contador de causos da sua região. Cursou o 2º grau do ensino médio, e é casado com Dona Elizabeth dos Santos Pereira, e do casal nasceram-lhe três filhos: Enoque Pereira dos Santos, Laís Pereira dos Santos e Sara Pereira dos Santos. Pedro Viola é autor dos livros: “COLETÂNEA DE TEXTOS REFLEXIVOS” e “VENCENDO DESAFIOS ATINENTES AO SER HUMANO”, e já escreveu mais de 100 obras de literatura de cordel, com mais de 8 mil exemplares publicados.
O Poeta Pedro Viola iniciou a sua carreira artística no ano de 1996, mesmo sendo filho de cordelista, o Poeta só deu início a sua carreira, após muito ser incentivado por Paulo Brito Maciel – Paulo Cordel – um dos cordelistas de considerado de referência da sua região, foi quando, então, escreveu a sua primeira obra intitulada: (BETO, O CIDADÃO CARAÍBA), revisada pelo próprio Paulo Cordel, e publicada pela gráfica Salobro da cidade Irecê, em 1997.

O poeta participa de várias coletâneas, dentre as mais recentes está inclusa: “ANUÁRIO DO CORDEL BRASILEIRO” “CORDELISTAS BRASILEIROS DÃO A DEUS A GREGÓRIO NICOLÓ” “CORDELISTAS CENTRALENSES” e (CORDELISTAS CONTEMPORÂNEOS) lançada em 2017, com a participação de 53 poetas cordelistas, de 12 Estados brasileiros.

Além de poeta cordelista e escritor, Pedro Viola, também já participou de várias peças teatrais. Ultimamente, o poeta além do cordel vem atuando como ator. No filme “O PREFEITO DO SERTÃO” colocado no youtube recentemente, o qual já contabiliza mais de 320 mil visualizações, o poeta faz o personagem de Lulu, o secretário do Coroné Florzão. No mesmo canal, que é o -CENTRAL FILMES – contém vários episódios de “MANÉ PREÁ E MIGUEL VIOLA”. Nos quais o poeta faz o personagem do seu saudoso pai Miguel Viola, homem simples do sertão, o qual sustentou a sua família trabalhando na função de pedreiro.

Durante a sua carreira, o poeta já participou de vários eventos culturais, e por entender que o aprendizado é eterno, sempre procurou aproveitar todas as possíveis oportunidades que a vida tem lhe oferecido.

Pelo SEBRAE fez o curso “CAPACITAÇÃO PARA O CRÉDITO” com duração de 16 horas. Tomou o treinamento das endemias: Leishmaniose, Chagas e Dengue promovido pela 21ª Dires, num período de 40 horas.

Pelo Projeto Avança Nordeste cursou: Técnicas de Vendas, Gerenciamento de Negócios, Departamento Pessoal, Auxiliar Administrativo, Marketing Pessoal e Empresarial; Telefonista e Operador de Telemarketing, Técnica de Recepção, Secretariado e vários outros treinamentos.

Segue abaixo alguns títulos das obras do poeta:
A ambição demasiada; A arte é uma riqueza; A casa das livusias; A copa de setenta; A história de Abimael; A história de Central; A história de Isabella Nardoni; A história de Kaká; A história de Ronaldo, fenômeno; A jovem que por pouco não enricou; A misteriosa santa da toca da pingadeira; A paz é a real prova da existência de Deus na vida do ser humano; A rima do amor cristão; A saga de uma paixão; A saga do politiqueiro; A seca de 98; A triste sina de Chica Marota; A volta de Jesus; Amor, virtude que não tem preço; Arraiá do são joão; as coisas belas da vida; As façanhas de Miguel Viola; Atletas veteranos; Brasil pentacampeão; Camada de ozônio; Carlos Cavalcante, um talento com raízes nordestinas; Confissão de um paralítico; Copa do sertão; Cordel de amigos; Cuidado com a línga; Dia das mães; Diálogo entre pai e filho; Educação é preciso; Festas juninas; Homenagem a Chico de Lauro; Homenagem à mulher; Homenagem ao Pastor Edilson; Homenagem ao Poeta Marciano; Homenagem aos professores e alunos da escola José de Souza Machado; Homenagem póstuma a Jéss…

Apelido Pedro viola - Pedro Viola - Bahia

Afilhado de Roseli Farias
Confrade Efetivo.

As coisas belas da vida
Pedro Viola

As belas coisas da vida
Pelas quais temos sonhado,
Tá mais perto do que nós,
Às vezes temos pensado.
Pois a nossa vida, no entanto
É uma delas, portanto,
E nem todos têm notado.

1
Aquele olhar bem alegre,
Aquele aperto de mão,
Aquele belo sorriso,
E sincera saudação.
Tudo isto são belezas,
Certamente de grandezas,
Que só geram comunhão.

2
Todos nós somos carentes
Sim, de atenção e carinho.
Isto porque Deus não fez
Ninguém pra viver sozinho.
Um do outro precisamos,
Pra que melhor prossigamos,
Neste chão, nosso caminho.

3
E cada um de nós por certo
Dar sim para melhorar
O nosso modo de agir
E um ser melhor se tornar.
Despojando-nos, enfim,
De tudo que é ruim,
Que em nada pode somar.

4
O que mais nos atrapalha
No vínculo da com…