Rio de Janeiro.jpg
REGINA- FELIX-FOTO.jpg

Regina Felix

Sobre

Regina Felix nasceu no Rio de Janeiro, onde reside, é poetisa, escritora, atriz, produtora e ativista cultura, ex-presidente da Liter e Art Brasil (Movimento Cultural de Literatura e Arte do Brasil, embaixadora da paz pela Universal Peace Federation, membro do SEERJ e CAPRIJ, COORDENADORA DO GRUPO Poesia e Cia. Seu trabalho seja na escrita ou no palco, tem objetivos sociocultural, inclusão, cidadania e pprima pela justiça e pela paz. Já realizou vários projetos socioculturais, representou o Brasil no México e em Cuba e atualmente, pela Liter e Art Brasil (StudiOfficina, Espaço Corpo e Mente e Studio de Arte Bangu), arte, cultura e diversão, além de oficinas que propiciam geração de renda e colabora com o Projeto Um Brinde à Vida. (Perfil- 2010)

Regina Felix é cofundadora da CAPPAZ, juntamente com outros escritores e artistas.

Regina Felix atuou e coordenou diversos eventos da CAPPAZ, bem como realizou palestras pela CAPPAZ em Congressos, especialmente no Congresso Brasileiro de Poesia. 

Além dessas participações coordenou lançamentos da Antologia CAPPAZ, COMO ABAIXO SEGUE.

LANÇAMENTO DAS ANTOLOGIAS "INTERFACES DE AMOR E PAZ VOL, 5 e 6, NO RIO DE JANEIRO:

DIA 05 DE NOVEMBRO, NO INSTITUTO CULTURAL BRASIL ARGENTINA, NA CAPITAL DO RIO DE JANEIRO, REALIZOU-SE O LANÇAMENTO DA 5ª E 6ª ANTOLOGIA DA CAPPAZ (CONFRARIA ARTISTAS E POETAS PELA PAZ) DURANTE O XIº RIO TANGO FESTIVAL, MAIS UM EVENTO QUE, NESTE ANO, ENALTECE OS 450 ANOS DO RIO DE JANEIRO.

O EVENTO CONTOU COM A PRESENÇA DO CONSUL DA ARGENTINA, CIA. DE TRUPE DA ARTE, DOM JORGE PAULO DA ACADEMIA NACIONAL DE TANGO DO BRASIL, CANTORES ARGENTINOS E BRASILEIROS, MAS ESPECIALMENTE COM A "RODA DE POESIAS", COM OS CONFRADES E CONFREIRAS, FERNANDO ALBERTO SALINAS COUTO, SUA ESPOSA, CONFREIRA E POETISA SÔNIA MARIA DE ARAUJO RÊGO, REGINA SANT’ANNA, ELZIO LUZ LEAL, CONFRADE E DIRETOR DA ACADEMIA PAN AMERICAMA DE LETRAS E ARTES (APALA) E OUTROS...

Chorando alegria, chorando pétalas de rosa
Regina Sant'Anna

Neste mundo de tantas crenças e raças

Clamo por uma almejada paz:

Paz sentida no silêncio das armas,

Paz sentida no chilrear dos pássaros

Enfeitando as árvores de uma pequenina praça.

 

Neste mundo de tantas crenças e raças

Não deveria haver guerras nem em jogos de xadrez, Os homens trocariam a sede mesquinha de poder Por grandes somas de sensatez.

 

Neste mundo de tantas crenças e raças

Deveríamos unir todos os nossos meios

Para derrotar a fome que se alastra,

Para curar as doenças que a vida ameaça

Para vivermos livres de receios

Que sugam nossas forças e quebrantam nossa alma.

 

Neste mundo de tantas crenças e raças

Gostaria de ver o amor brilhar em cada casa, Inundando o mundo com a paz preciosa, Acalentando a criança que, hoje, chora lágrimas amargas.

 

Neste mundo de tantas crenças e raças

Clamo pela paz que agoniza por questões falsas.

Clamo pela paz, para que seja fênix vitoriosa, Para não ver meus irmãos do mundo feridos, Para não ver os pequeninos chorando oprimidos, Para ver nos olhos a esperança preciosa.

 

Clamo pela paz, para que esta não seja enterrada Em prantos de dor de uma ambição desenfreada, Queimada ao detonar de um míssil no alvo errado; Clamo pela paz vinda de seu ninho incendiado,

 

Trazendo o renascer da humanidade em agonia, Para ver nos olhos um choro que seja só de alegria Pela Terra florescendo outra vez dadivosa; Pelo céu derramando gotas de chuva purificada, Sem ácidos ou pela radiação contaminada, Como se estivesse chorando pétalas de rosa.

 

Neste mundo de tantas crenças e raças

Queremos a união de corações

Quebrando barreiras, espalhando o amor

Edificando a paz e criando uma família

Uma única família formada por todas as nações.

 

Rio de Janeiro/RJ