top of page

CIRANDA DE AGOSTO/2022

Atualizado: 3 de out. de 2022


01

ABERTURA

160ª CIRANDA MENSAL CAPPAZ

Deomidio


O sol brilha elegantemente no céu, brotando por trás dos morros.

O astro rei jorra seus raios sobre o planeta atingindo pântanos, mares, planícies e seres.

Seus raios não escolhem quais as pessoas que irão iluminar.

A sua iluminação debruça sobre nós independente de raça, credo, nacionalidade.

Somos iguais.

A ciranda mensal da CAPPAZ, tem o objetivo de ser um sol, que possa atingir todos os corações com seus raios poéticos, indo em todas as direções, irrigando consciências.

Por isto a Confraria Artistas e Poetas pela Paz - CAPPAZ, convida seus membros para serem raios de amor, de paz, de ternura, de fraternidade.

Venham compor este sol com seus textos, assim, poderemos juntos melhorarmos este planeta azul, que nos acolhe em teu seio de amor.

Vocês são convidados a serem raios benéficos em harmonia constante na 160ª Ciranda Mensal CAPPAZ, bem como, na Antologia Interfaces de Amor e Paz, volume XIII - 2022, que além das Cirandas Mensais transmite mensagens de otimismo escrita em livros.

A sua participação é de suma importância para a harmonização planetária.

Venham, venham ser raios de luzes.


PARTICIPANTES DA 160ª CIRANDA – AGOSTO – 2022


1. Antonio Zanetti (03)

2. Cardoso (14)

3. Deomídio Macedo (01) ABERTURA

4. Deomídio Macedo (16)

5. Dido Oliveira (09)

6. Dilson Ferreira (05)

7. Dilson Ferreira (06)

8. Dilson Ferreira (17) ENCERRAMENTO

9. Eda Bridi (13)

10. Hélder Roque (10)

11. José Maria de Jesus Raimundo Silva (02)

12. Joyce Lima Krischke (11)

13. Lúcia Silva (15)

14. Neneca Barbosa (07)

15. Suênia Izabel Lino (04)

16. Tereza Santos da Silva (12)

17. Valmir Vilmar de Sousa (Veve) (08)


02

QUERES A PAZ?

José Maria de Jesus Raimundo Silva


Queres a paz?

Saiba você é responsável por ela.

Por isso haja menos rancor,

Mais paciência, carinho e amor

Para com o próximo,

Pais, irmãos, parentes.

Com todas pessoas que o rodeiam.

Tenha sempre um sorriso,

Não brigue, não alimente o ódio.

Se plantares espinhos,

Eles hão de ferir um dia você.

Semeie flores.

Se cada um de nós assim agirmos,

Vamos promover a felicidade.

A violência será extinta,

O mundo conhecerá a paz,

Se fazes mal uso de seus bens,

Não fale em paz.

Preserve o amor,

A natureza,

Sorria


03

NOVA ESCOLHA

Antonio Zanetti – Itj, 10 jul 22


Das letras velhas e sangrentas.

Páginas carcomidas da nossa história.

Brotam passagens vis e cruentas.

Sem brilho, sem vida, sem glória.


Compêndios rudes e tristes,

Quais arias nervosas, repetidas.

Como matrizes torpes, horripilantes,

Expõe chagas abertas em rubras feridas.


Da violência tirânica e insubmissa.

Que de roldão arrasta os homens.

Nos turbilhões das mentes enfermiças.

Nos enceguecidos atos que a todos consomem.


Os estrondosos ecos das guerras,

Verdadeiras e voluntárias imolações.

Nos igualam às bestiais feras.

Irracionais, cruéis, sem emoções.


Escravidões, expulsões, banimentos,

Segregação, tráfico, violência.

Injustiças, dores, tormentos.

Materializam escura tendência.


Que teima, esbraveja e resiste.

Que estremece, golpeia e insiste.

Arrasando a semeadura do bem.

Por quanto tempo mais além?


Somos capazes, se quisermos.

DE alterar esse curso desastroso.

A partir de agora, se fizermos.

De cada minuto, tempo milagroso.


Abandonemos a fera penitente.

Façamos da compreensão nossa bandeira.

Que tremulará linda e altaneira.

Como marco do Amor contagiante.


Ouçamos do Cristo o conselho.

Deixemos a espada e seu mal.

Que nasça o novo em lugar do homem velho.

Que resplandeça o Espírito Imortal.


04

CICLOS

Suênia Izabel Lino

Nesta vida é preciso compreender,

que de ciclos em ciclos é que se vai viver.

Ciclo vai, ciclo vai -e- vem,

e para cada ciclo Deus provém.


Provém a coragem para viver com intensidade em todas os ciclos da idade.

Provém a emoção que alimenta a paixão, substância da felicidade.

Provém a gratidão, nobreza da alma e predicado da espiritualidade.

Provém a maturidade para melhor entender e por isso agradecer.


Agradecer ao amor e ao amado, coisa do passado.

Agradecer a vida, a família, os amigos, a profissão.

Agradecer a poesia, a saudade e a divina criação.

Agradecer a oportunidade de alcançar a maior idade.


Chegando a maior idade observo minha bagagem.

Nela vejo a expressão de Deus no amor, no perdão, na criação, na aprendizagem,

No que acredito, em tudo enfim.

Acreditar é orar, é visualiza a vida acontecendo.


Vibrando nessa abordagem afirmo com coragem,

Que em todos os ciclos há que se ter a convicção,

De que a felicidade está na simplicidade,

Das pequenas embalagens da humanidade.


05

MELHOR MOMENTO!

Dilson Ferreira – Natal/RN


"A sabedoria da natureza é tal que não

produz nada de supérfluo ou inútil."

(Nicolau Copérnico)


Minha terra tem a mais bela alvorada

Com sol para a cidade iluminar

Onde o poeta assim possa cantar

O azul do céu, o mar, e a passarada.


O pôr do sol deixa a tarde extasiada

Que à noite, estrelas 'té dá pra contar

Onde no céu brilha um belo luar,

Pra qu'eu veja tudo com minha amada.


Aproveitar sim esse doce momento

Degustando tudo aquilo que se sente

Através do amor, divino sentimento.


Em êxtases, o poeta não resiste

E indaga: - Melhor momento qu'esse, gente,

Será que nesta vida efêmera, existe?


06

P R A I E I R O!

Dilson Ferreira


"Nas ondas da praia \ Quem vem me beijar?

Quero a estrela-d'alva \ Rainha do mar."

(Estrela da Manhã) Manuel Bandeira.


O que a minha praia tem?

Tem areia, céu e mar,

Água santa pra banhar,

E brisa que nos faz bem!


Se ao meu lado tenho alguém,

Pro som do mar escutar,

Canções pra ela vou cantar,

Talvez cante mais de cem!


Também tem gente bronzeada,

Caipirinha bem gelada,

E ondas pra gente surfar!


Quem nossas praias, conhece,

Dessa terra não esquece,

E pra Natal quer voltar!


07

SINFONIA DA CRIAÇÃO

Neneca Barbosa – João Pessoa - PB


Na Criação tudo é harmonia:

Do chuá das águas da cachoeira

Ao pôr-do-sol no horizonte,

Dos pássaros em sinfonia,

Criando os ninhos na trepadeira

E a rara beleza da fonte.


As estrelas no céu piscando...

O ruído das ondas do mar...

A lua no céu da cor de prata...

O vento faceiro soprando...

A floresta toda a dançar,

Na magia de uma serenata.


Ah! Se o homem entendesse,

Que é preciso salvar a Terra

Preservando a Mãe Natureza.

E a destruição combatesse

Evitando também a guerra

Conservando a Paz e sua beleza!


08

CANTANDO A PAZ

Valmir Vilmar de Sousa (Vevê) 25/08/22


Pelo mundo vou,

vou caminhando sem direção

vou cantando firmemente

minha canção de amor

um amor solidário, fraternal

onde todos entendam que é importante

construirmos uma paz universal

sem preconceitos, sem ressentimentos

onde a criança vivencie sua inocência

o velho seja respeitado e amado

que o céu, seja multicolorido

pintado pelas mãos benfazejas

do homem novo que nasce

vamos cantar a paz

vamos disseminar a paz

vamos construir a nossa paz interior

... vou continuar cantando a paz


09

O SOL É SÓ

Dido Oliveira


Abri a janela e ele bateu forte nos meus olhos, como se me mostrasse o quanto ele é poderoso com seu brilho intenso, toda a sua pujança – não é à-toa que é considerado o Astro-Rei! Eles, lá do outro lado da praça, também estavam olhando, mas não viram o que eu vi – pelo menos nesse ângulo - mas contemplaram um pouco desse brilho na praça, onde flores sorriam, pássaros cantavam, crianças brincavam, árvores dançavam ao vento... O fato é que o sol é democrático, brilha sem discriminar nada, nem ninguém, acolhendo a todos com mesma energia insubstituível, para ele tudo tem a mesma importância – o mesmo peso e medida. Aliás, ele nem se importa, nem sabe o que é isso, nem que a vida na terra dependa dos seus mágicos raios! Nós, humanos, é que temos essa “capacidade” de quantificar, discriminar, mensurar, julgar...

Agora eu pergunto por quê:

• O ser humano não é assim, como o sol, feliz com tudo e com todos?

• Não é como o sol que abraça a todos, mesmo à distância?

• Não é como uma lanterna numa estrada escura, como um sol que abraça em abundante ternura?

• Não é como o girassol que se vira, gira naturalmente para onde o sol está?

• Por que não segue esse exemplo, girando o olhar de sol para abraçar a todos?

O sol é só, mas não se sente solitário, não teme à solidão, pois tem toda uma constelação, toda uma imensidão para cuidar, principalmente nosso amado planeta terra.


10

CANTANDO A PAZ PELO MUNDO

Helder Roque – Portugal


Eu sou a paz que venho pedir

Não vamos deixar destruir

Este PLANETA que habitamos

Sem ele, todos nós morreremos


Eu sou a paz que vos imploro

Por vós, todos os dias eu choro

Olho e vejo destruição

Tudo isso é uma maldição


Eu sou a paz que vos ama

Não se deixem consumir

Pelo ódio e intolerância

Em paz vamos coexistir


11

PAZ EM CONSTRUÇÃO – QUATORZE ANOS

Joyce Lima Krischke


Ouço o galo cantar, na cercania,

anunciando o fim de mais um dia.

Envolvida na Paz, deste lugar,

tento repensar a Paz: Meditar.


Há quatorze anos surgiu a CAPPAZ.

Juntos na Terra distribuímos Paz,

Nos mais longínquos locais do Brasil.

Altaneira, com seu versar gentil.


Nas letras impressas Antologia,

divulga Paz, bem que o mundo pedia.

Anualmente, reunidos estamos.


Editando poemas e, também, prosas.

Jardins coloridos com muitas rosas,

Paz em construção é o que preparamos.


Guabiruba/SC, 28/08/2022.


12

LUZ E SOMBRA

Tereza Santos da Silva


Claro e escuro povoam as mentes,

E o entristecimento induz à solidão,

Mas a felicidade só o ser consente,

Pois no aconchego há cintilação.

Luz a iluminar os recônditos da alma,

E que contagia quem está ali!

Sombras escondem tristes emoções...

E a tristeza suscita o vazio de si.

Ambas coexistem nessa eterna busca,

Pois somente a luz expande corações!


A alma sufocada chora internamente,

E só se acalenta quando a dor se vai,

Depois chega sorrindo sua nova aurora,

Mas o iluminado amor também se esvai.

E resta a lembrança, pairando levemente,

Não se aparta do ente àquela hora,

No desespero, o ser vacila e cai...

E o sofrimento resiste a ir embora

Dilacerando o amor do pobre coração!


13

PAZ E VIDA

Eda Bridi

Os homens das guerras

Ainda não compreenderam

Que o mundo precisa viver paz

Ainda não compreenderam

Que a vida um sentido traz.

João de Barro constrói a casa

Com a abertura voltada na direção

Contrária da chuva e do vento.

A formiga abastece o seu celeiro

Com provisões para o inverno inteiro.

Proteção à vida!


No mundo dos homens da paz

As provisões de amor:

Seres iluminados agem como passarinho

São ninhos

Dão asas aos sonhos de harmonia

E liberdade.

E falam o idioma da paz.

Pintam a vida com o colorido do otimismo

E com mensagens de amor

E de esperança de um mundo

Sem guerras, sem dor.

Santa vontade do Supremo Criador!

Publicado em Interfaces de Amor e Paz – Antologia CAPPAZ – Vol.10 Pag.32


14

PAZ

Cardoso – 08/2022


Trocando raiva e rancor

Por ternura e pudor

Nossa gente se grudando

Pela Paz e pelo Amor


Graças a tua imensidão

Paz emana do coração

Na batalha pela vida

Gratidão é solução


O cume da natureza

Harmônica a companhia

Ouvindo as melodias

De águas cristalinas


Chafariz de sabedoria

Nas cacimbas do sertão

As estrelas clareando

Nossa PAZ tão merecida


Sendo nós os condutores

De uma luz celestial

Compartilhando Paz e Bem

Pelo lume do amor


15

QUE ME TRAZES?

Lúcia Silva


Oi, pomba da paz

Ou devo chamar de amor?

O que você me traz

Nesse bico cantador?


Trago uma saudação

De paz e felicidade

Para você ofertar ao irmão

Um punhado de fraternidade.


16

Cantando na Chuva

(Deomídio Macêdo)


O Amor quando invade o coração

provoca grandes emoções,

como na cena de cinema

dirigido e estrelado por Gene Kelly,

no filme cantando na chuva.


O beijo mágico de Stanley Donen

faz com que Gene Kelly

Debochando de alegria

Sapateia sob a chuva,

do passeio para a rua,

A dançar com o guarda-chuva

numa cena deslumbrante.


Suas roupas se encharcam.

O poste é seu pedestal.

As pessoas passam admiradas.

Ele abre os braços

Numa só harmonia,

Tira o chapéu para os pingos lamberem

seu rosto que traduz felicidade.


Rodopia o guarda-chuva.

Caminha no ritmo da música.

Dança, rodopia, dança

com seu par improvisado.

Sapateia, brinca, sapateia

retira o chapéu e cumprimenta

o cartaz de uma mulher.


Com Humor, felicidade,

O rapaz vibra feito criança,

sempre a sorri.

Galopa, entusiasmado.

Fecha o guarda-chuva

sem perder a coreografia

Que a música lhe impõe.


As plantas no jardim

aplaudem ao bel prazer do vento

que assobia nas folhagens,

enfeitando a rua e o palco

do dançarino solitário,

e logo ali à frente

A bica jorra mel

que a chuva presenteia.


Como diz o comentário

de Edilza Mota

Logo abaixo na descrição

desta cena magnífica:

"Viver não é esperar a tempestade passar,

é aprender dançar na chuva".


Uma proposta em tempo de inverno.


17

ENCERRAMENTO

I M A G I N O!

Dilson Ferreira


"Num filme o que importa não é a realidade,

mas o que dela possa extrair a imaginação."

(Charles Chaplin)


Se estou num mar de rosas, vivo o amor...

Aí, tudo se faz lindo... Eu sou feliz...

Mas, quando fico triste, sinto a dor,

E aí, meu canto só tristeza diz.


Falta fazer o que ainda eu não fiz;

Morar na praia co'a brisa a favor

Porque essa benesse eu sempre quis

Pra provar da vida o melhor sabor.


Sonhos? Mas sonhar relaxa e faz bem

Pois sonhar não cobra imposto a ninguém

E alivia o diário dissabor.


Continuarei sonhando... E você???

Inda imagino o mundo em paz, porque

Enfim, sou um poeta sonhador!

40 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page