top of page

CIRANDA DE JUNHO/2022 – TEMA LIVRE


01

ABERTURA

REVOADA

Dido Oliveira


Montado em meu cavalo é tão grande o meu prazer

Eu tento achar palavras, é difícil descrever

Voa, voa coração, como pássaros do chão

Numa revoada linda, livre e solta sensação

É tudo muito bom, tá tudo bom demais

Monto no meu cavalo e deixo tudo para traz

Nesse galope vou além, não me prendo à viagem

Curtir cada momento, o importante é a liberdade

Pra você mando um beijo da palma da minha mão

Num gesto de carinho que lhe invade o coração

Venha comigo também nessa cavalgada

E nela eu vou lhe mostrar

Um jeito novo de viver em harmonia

Não é pura fantasia, num mundo cheio de alegria

Dá um tempo em tudo pra poder se encontrar

É tudo muito bom, tá tudo bom demais

Monto no meu cavalo e deixo tudo para traz.


PARTICIPANTES DA 158ª CIRANDA – JUNHO - 2022


1. Andrade Jorge (12)

2. Cardoso (21)

3. Deomídio Macedo (20)

4. Dido Oliveira (30)

5. Dido Oliveira (1) ABERTURA

6. Dilson Ferreira (09)

7. Eda Bridi (19)

8. Eliene Dantas de Miranda (15)

9. Fátima Peixoto (24)

10. Giba Peixoto (22)

11. Hélder Roque (16)

12. Hélio Cabral Filho (10)

13. Iratan Curvello – Príncipe Poeta (04)

14. José Maria de Jesus Raimundo Silva (07)

15. Joyce Lima Krischke (27)

16. Judite Krischke Sebastiany (28)

17. J.J. Oliveira Gonçalves (08)

18. Luiz Menezes de Miranda (13)

19. Lúcia Silva (31) ENCERRAMENTO

20. Lúcia Silva (25)

21. Marina Martinez (14)

22. Neneca Barbosa (06)

23. Odilon Machado Lourenço (28)

24. Roseleide Farias (23)

25. Roseli Farias Roque (05)

26. Salomé Pires (Mel) (02)

27. Sandra Lúcia de Souza Santos (17)

28. Tereza Santos da Silva (18)

29. Valmir Vilmar de Sousa (Veve) (03)

30. Vera Passos (11)

31. Vilson L Holanda (29)


02

NADA SERÁ POR ACASO...

Salomé Pires (Mel)


Somos todos conectados,

Sorrisos interligados,

Olhares lá no horizonte,

Caminhantes da mesma era,

Desta Vida que se esmera,

Em ser apenas a Fonte…


Cada ser em conexão,

Um universo em ação,

Lágrimas que se misturam,

Todos que passam por nós

No eco da sua voz,

Simplesmente nos procuram…


Aquele irmão do caminho,

Nunca nos chega sozinho,

Vem no tempo e sem atraso,

Pode não nos agradar,

Mas a vida vai mostrar,

Que nada vem por acaso,


Existe a lei do retorno,

Trazendo, às vezes, transtorno,

E pouco nos damos conta,

Se tudo vem com razão,

Não nos cabe seleção,

É Deus quem sabe da monta,


Somos todos conectados,

Elo Divino e sagrado,

Que nos faz evoluir,

Quando alguém sai machucado,

Triste, ou até humilhado,

Vamos também nos ferir.


03

A NATUREZA

Valmir Vilmar de Sousa (Vevê) 12/11/21


A natureza me faz refletir

O quão, bela é a vida

Assistir ao nascer do sol

O dia surgindo lentamente

O som da cachoeira a ecoar

A brisa a beijar o meu corpo

O revoar do passaredo

Por sobre o arvoredo

E uma relva a me convidar

A acariciar o orvalho da manhã

Sinto a areia branca da praia

A massagear meus pés descalços

Respingos das ondas do mar

Cheirando a maresia e,

No céu estrelado

A lua mansa a seguir

Meus passos

Em compassos,

Desembaraços,

A procura de um abraço


04

SAUDADE

Iratan Curvello – Príncipe Poeta


Depois de uma longa jornada

Ao parar na beira da estrada

Vejo quantas coisas enfrentei

Pessoas que comigo trilharam

Lutaram, sorriram e choraram

E tudo o que eu ná fé suportei


Hoje cada momento é lembrança

Muitas coisas boas e de esperança

Que guardo no coração gratulado

Pois agora, sem nenhuma vaidade

Ao passar do tempo, tudo é saudade


Saudade da conversa franca e amiga

Tempo que discordamos e sem briga

Pois estávamos nós lutando pela vida

Enquanto o mundo inteiro, queria poder

Nossa luta simplesmente era para viver


Saudade do nobre amigo do peito

Que sempre encontrava um jeito

De transformar a tristeza em alegria

Saudade de jogar conversa boa à toa

Assim percebemos, como o tempo voa


E nesse tempo que nos anestesia

Passei a transformar tudo em poesia

Poetiso até mesmo essa saudade infinita

Mas a arte de escrever, pintar, declamar

Registra que esse é meu jeito de amar.


05

DIVINA LUZ

Roseli Farias Roque


Ah! O Amor!

É preciso cantá-lo!

É alvorada, é bênção e esplendor,

é perfeição do coração…

Amar a sua volta, o beijo do orvalho no verde,

amar os sonhos que se calam,

amar é entrar num palácio encantado,

fonte de desejos que vibram no deslumbrante de viver!


Ah! O Amor!

Um jardim colorido de versos,

luz de um amante com gestos de doçura e beijos,

com lembranças eternas.

Um amor…

Prende-te toda, tudo é chama a arder…

Embriaguez terna da alma…

Magia e afeto que dançam magistralmente dentro de nós!


Ei, Amor!

Deixas a vida bela

Torna a minha existência com mais sentido

e este sentido me faz sempre querer amar!


06

MISTÉRIOS E MAGIA NA VIDA

Neneca Barbosa – João Pessoa - PB


Há mistérios em cada momento da Vida,

Desde o nascer do sol até ao final da noite...

E, tudo na vida tem sonhos e magia,

Trazidos pelo uivo do vento e seu açoite.


Quão sublime é o mistério, que se quer decifrar,

Pelo caminho da emoção e da poesia,

Que somente o poeta sabe tão bem lidar

Com sua inspiração, seus versos têm magia.


Talvez, seja preciso pensar na infância,

Para a magia de cada um recuperar.

E sentir no coração qual a importância,

De despertar no Ser, o poder de amar.


Dessa forma, é enxergada a similitude,

Entre o mistério e magia no caminho,

Que norteia cada passo com virtude

De uma realidade, que aquece com alinho!


07

SEM LIMITES

José Maria de Jesus Raimundo Silva. Menção honrosa 2008.


O amor é assim...

Lindo como as flores,

Brilha e aquece como o Sol.

Encanta os olhos, seduz a alma.

Sem limites...

O amor se faz presente em nosso dia a dia.

É como olhar no horizonte...

É procurar respostas nos mantos de estrelas,

Nas profundezas dos mares,

Nos verdes das matas.

Sem limites...

O amor é um sentimento puro,

É vida, paz, alegria e felicidade.

O amor é inconsequente

É bênção de Deus.


08

5 DORES!!

(Às Alminhas de “Jandynha, Joujou, Clarita, Polly e Pingo”!)

J.J. Oliveira Gonçalves


Esgrimi cinco vezes contra a Morte

E fui, nas quatro vezes, derrotado!

Perdi o equilíbrio, o chão e o Norte

Quebrei o meu florim de fracassado!


Lutei o Bom Combate: isso eu sei!

Mas isso a frustração não diminui

Que a pobre Alma – em vão! – dilacerei

Vencer o vil Destino: ingênuo fui!


Tombei a cada Morte... Fui ao chão

Ferida a Alma e exangue o coração

Cinco vezes morri... de Dor sangrando!


Ah, Tempos de Natal... Do meu Jesus

Que sabe o quão pesada é minha Cruz

Esta que ainda carrego... me arrastando!


Que triste este Natal – sem 5 Amores:

Estrelinhas no Céu... Ai, 5 Dores!!


Porto Alegre, 22 de dezembro/2017.18h

jjotapoesia@gmail.com – www.cappaz.com.br

*Música: “Limelight” – Gheorghe Zamfir


09

SONETO POTÁVEL

Dilson – Natal\RN


"Eu quero ser como água. Limpa, transparente,

fonte de energia, mas que quando se rebela é

capaz de inundar o mundo."

(Caio Fernando Abreu)


Água abençoada que na fonte apanho

Que lava calcinhas e também cuecas

Dos velhos, jovens e meninas sapecas,

E que refresca o casal, na hora do banho.

Lavando tudo dela, à noitinha, eu sonho

Sonho com brasileiras e com suecas

Fria água de coco que bebo em canecas,

Que essa criação divina, em versos ponho.

Bendizer a água a todo poeta cabe

Eu sei, todos sabem, você também sabe,

Que devemos louvar esse tal invento.

Pois, bem certo, que sem Ela ninguém vive...

Por isso aqui toda a inspiração tive,

Pra compor este soneto tão sedento!


16/04/ 2021 - DILSON \ NATAL \ RN - BRAZIL


10

VIDAS AMARGAS

Hélio Cabral Filho


Amarga, a mente, morre e se amargura;

Amargo, o coração, se descompassa;

Sem gentileza, a vida, perde a graça

E, quando falta o Bem, falta doçura.


A vida, sem perdão, se despedaça

E perde toda a luz, toda a ternura;

O mundo sem ter paz se desfigura,

Em só desunião, em só desgraça.


O ser, sem ter amor, é presunçoso;

O crer, sem ter ação, é hipocrisia;

Sem caridade tudo é impiedoso.


Sem fé a vida é escura e tão vazia;

Sem esperança o mundo é tenebroso;

É muito triste a vida sem poesia.


11

A AMAZÔNIA É DE TODOS NÓS

Poetisa Vera Passos


Riscamos os traços na mata virgem

O perigo nos acompanha como sombra

Cada passo a maldade ataca, assusta, assombra

A mata tem voz dos bichos e do povo que habita e defende

Tem seres vivos, nossa ancestralidade

Tem o canto das águas abrindo caminhos

Tem o assobio do vento levando a chuva nos rios aéreos

Tem a orquestra dos pássaros ao amanhecer

Tem o grunhido dos carnívoros

Tem o chacoalhar das folhas

Tem peixes desfilando nos igarapés

Tem todo ecossistema que nos deixa em pé

Vem o irracional e a ganância, vê as riquezas

Traz consigo a serra, a foice, o facão

Traz a morte, a malvadeza, a invasão

Mata a felicidade o direito à liberdade

Faz a guerra à Natureza

Tem no ódio a única opção.

A Amazônia é única, é patrimônio da Humanidade

É de todos nós, não é dos algozes, é da geração que virá

É dos sábios que entendem que sem OXiGÊNIO a vida não há


12

ONTEM

Andrade Jorge


Perfumes remontados,

batons descoloridos

em bocas frêmitas

de tempos idos;

No solavanco da existência

ainda rescendem

flagrâncias insistentes,

mas tão amenas quanto a lembrança;


A ansiedade e frescor

o vento que sopra as eras

passou... levou...

Ah! Verdejantes quimeras...


A impulsividade do amor esmoreceu,

e o inexorável amanheceu!

Outonamente as pétalas soçobraram

perdendo-se no tempo,

tons cinza no céu de poucos

ar plúmbeo na terra de todos

frio....

Frio no verso,

frio na espera

da nova primavera,

confusos e imponderáveis sentimentos,

invadem e assombram o irrequieto espírito,

é o inverno garoando

saudade por aí;

E com a empalecida tez

arquivei meu ontem

na pasta do tudo ou nada...

Hoje? Desterro-me

E eis-me aqui outra vez....


11/12/2014 - 17:03


13

O QUE É SER POETA?

Luiz Menezes de Miranda

Ser poeta

É viver de ilusões

Ter no verso

Uma fuga

Que aquiete o coração

Ser poeta

É fazer do verso

Um instrumento capaz

Que nas suas entrelinhas

Transforme a guerra em paz

Ser poeta

É ser vassalo

Trapos de versos vãos

É conseguir com versos

Plantar flores em canhões

Ser poeta é ser poeta

Empunhando a enxada da escrita

Faz de cada letra uma canção

De cada sonho uma meta

Dando sentido a uma vida.


14

O UMBIGO NOSSO DE CADA DIA

OU

DA INCONGRUÊNCIA DE ALGUMAS ASSERTIVAS

Marina Martinez - 2018

Título estranho? Nem tanto. Todos começamos a viver pelo umbigo mas, nem todos conseguimos tirar os olhos dele, durante a vida. Esquecendo que outras pessoas também o possuem, apenas apreciamos o nosso. O universo cabe inteirinho dentro dele, a Terra gira ao seu redor, o sol brilha por sua causa e para ele.

O subtítulo? Segundo o Dicionário, incongruência significa qualidade de incongruente, ou seja, inconveniente, incompatível, impróprio. Exemplo? Fácil: amai-vos uns aos outros. De que modo podemos apreciar os vizinhos se apenas atentamos para nosso umbigo? Para amá-los, precisamos desviar o olhar, e ignorar, seja por minutos, esse ponto fixo e perceber a existência da outra pessoa.

Erguendo os olhos, poderemos vislumbrar, quem sabe, corações ou gargantas saturados de palavras não ditas por falta de ouvintes. Elevando mais um pouco o olhar, será possível descobrir perfis ignorados, olhos de cores e nuances variadas nos fitando, curiosos. Com coragem, será imaginável estabelecer conexões que nem sabíamos serem possíveis.

Olhos nos olhos, reporta a canção. Para isso acontecer, é plausível deixar o refúgio do umbigo nosso de cada dia e explorar novas experiências. Entendo que olhar os outros, olho no olho, sempre será uma lição de vida e, ao olharmos apenas nosso umbigo, nos tornaremos restritos, egoístas e muito, muito chatos.


Marina Martinez 2018


15

CRIANÇA ABANDONADA

Eliene Dantas de Miranda – São Paulo/SP


Criança faminta

Corre pra lá e pra cá

Brinca com estilingue

Sonha com adoção

De alguém que a ame

Com amor e emoção.


Mais que nada!

O tempo passa

Dia de sol escaldante

Brincando de polícia e ladrão

Morre com um tiro no peito

Disparado por um homem

Sem amor e sem coração.


16

A ILHA DO AMOR

Helder Roque – Portugal 30.06.2022


Um dia no meu despertar

Eu dei por mim numa ilha

Que beleza, que maravilha

Aqui eu vou querer ficar


Ao meu redor eu olhei

Ao longe, eu te avistei

Calmamente, caminhavas

Como se contasses as passadas


Como fiquei encantado

A tua beleza natural

O teu sorriso divinal

Me fez sentir apaixonado


Aquele caminho percorri

Para os teus braços, corri

Não sei viver sem amar

No teu coração quero morar


Dedicado à minha querida esposa Roseli Farias Roque


17

POESIA

Sandra Lúcia de Souza Santos


Poesia, me leva para onde

Eu consiga caminhar sozinha

Onde eu possa declamar meus versos

E repleta de amor

Acalmar todos os sons que fluem

Da inconsistência do cotidiano.


Espargir perfumes

Das flores sublimes do universo

E enlaçar em meus braços

O abraço que fortalece a amizade.


Sussurrar às margens do horizonte

O abafamento do meu peito

Que emana desejos de amor.

Um amor tão puro e verdadeiro,

Inebriante e caliente

Que absorvesse as espumas do mar.


Um coração latente que entoasse

O verbo amar no tempo presente,

Pois assim me perderia à deriva do cotidiano

Anunciando a hora de amar

A vida, a lua e as estrelas

Que reluzem em teu olhar.


18

RISO OU PRANTO

Tereza Santos da Silva


O estado da alma reflete-se na face!

Palpita o coração na alegria ou desalento,

Carregado de sonhos e desassossegos,

Iluminando os olhos por fora e dentro!

Lágrimas os tornam opacos; a voz emudece...

E a seiva da vida denuncia o pensamento.


Seja no rosto ancião, seja na face infante,

O sorriso contagia a alma que flana,

Sendo pranto, a tristeza comove.

E a emoção, embriagada de alegria ou dor insana,

Altera o ritmo da vida: ou torna-se sol que tudo aquece,

Ou parece inundação da terra cada vez que chove!


Assim é o ser que chora de prazer ou desolação,

Qual água-dor, transformada em água-vinho,

Alquimia que produz catarse que alivia,

Gerando na alma benfazeja consolação,

E para inebriar de luz um novo caminho,

Torna mágico o descompassado coração!


19

“UM RETALHO NOVO PARA A CULTURA DA PAZ”

Eda Bridi – Sobradinho/RS


“E penso que é assim mesmo que a vida se faz: de pedaços de outras gentes que vão se tornando parte da gente também. E a melhor parte é que nunca estaremos prontos, finalizados ... Haverá sempre um retalho novo para adicionar à alma”.

Cora Coralina


Ficamos a pensar de quem virá um retalho novo, no novo dia, para adicionar à alma ...

Numa retrospectiva da vida, o primeiro retalho de amor recebemos no ventre de nossa mãe, pois sentíamos o quanto ela já nos amava. Amor incondicional que define a felicidade de sermos amados!

Ao longo da vida, fomos nos formando com pedaços afetivos, cognitivos e éticos de gentes da família, da escola, da catequese, das festas de aniversário, dos natais, dos brinquedos, dos passeios, do esporte e de todas as outras gentes de nossa infância.

Na juventude, o relacionamento amplia-se no ambiente universitário e na sociedade, onde mais pedaços de outras gentes contribuem para a construção de conhecimentos e de ideais e de um futuro promissor.

Na vida adulta, a alma parece estar plena ... Realização pessoal e profissional, constituição de uma nova família, atuação autêntica na sociedade. No entanto, nada acabado ...

Múltiplos pedaços que têm a forma de letras, de notas musicais, de pintura em tela – produções de entidades, especialmente da Confraria Artistas e Poetas pela Paz – compartilhados na “tecedura” dessa gigante colcha de retalhos da arte, do belo, do amor, do bem e da paz, tornam-se partes da gente também.

E que tenhamos sempre um retalho novo para adicionar à alma e ao coração!


20

NATUREZA E VIDA

(Deomídio Macêdo)


Visualizei caminho florido

Céu estrelado, cor azul, de amor

A inundar meu mar, líquido, querido

Sempre buscando uma luz com o clamor


No acesso do coração alarido

Que bate no meu peito com humor

Sentindo feliz por ser preferido

A misturar vidas no bom cremor


Podendo vibrar forte no espírito

Repleto de fluídos salutares

A derramar gotículas com mérito


Em evolução pelos belos áres,

da casa do meu Pai – Terra amada

Luz em ação, brilhou, bem animada


21

VIDA NO MATO

Cardoso/06/2022


Vivendo aqui no mato

Pois aqui finquei raiz

Abraçando a natureza

Minha eterna companheira


Felicidade e harmonia

Tendo o mato e o regato

No paiol guardo feijão

No quilombo meu retrato


O sapato é sem cadarço

O cachorro bom de rasto

No barreiro bebe o gado

Na cacimba água potável


Quando chega a noitinha

Minha rainha se associa

No oitão ela chuvisca

Lumiando o meu viver


Em Jacobina sou vaqueiro

Aboiando a micareta

Quiçá laçando o gás

Dos “CÃO” de Fecha Beco.


22

AMADA IZABEL

Giba Peixoto – 30.06.2022


Tudo inicia-se, pelo nome que meu pai me concebeu.

Acordei no leito do Hospital, Memorial São Francisco.

Pois um pequeno sinal de pele, um susto me deu

Confiante e com FÉ em DEUS, mãos médicas livrou-me desse risco.


MINHA AMADA, bem em frente ao pé da cama, expressivamente, definia esse AMOR.

Como características da bondade, paralisada, perfilava-se com largo sorriso.

Mostrando para nós mesmo, a escolha de vivermos juntos a luz desse nosso AMOR.

Tal, SANTA ZABEL, Mãe que surpreendeu a MARIA dando-lhe da natalidade o primeiro aviso.

Me acorda carinhosamente com ternura, promovendo vida, luz e fugor.


Hoje dia de comemoração do seu aniversário de nascimento.

Onde eu, que deveria lhe presenteá-la, com um expressivo presente.

Ela me olha e me diz humildemente, que já foi contemplada, o recebeu, do alto, do firmamento.

E abraça-me com ardor, demonstrando mais uma vez, esse amor especial e onipresente.


23

FESTEJOS DA VIDA

Roseleide Farias – Cabedelo/PB. 30/06/2022


Festejar e cantar a vida é preciso

Seja em quaisquer dos momentos

Dançar, sorrir, amar, beijar, cantar

Abraçar, traduzem os sentimentos.


A vida é bela e traduz a esperança

Mesmo no ontem e seja no agora

O verde e amarelo traz lembrança

As matas e o sol que nos revigora.


Festejar a vida é o encantamento

Em toda a beleza que vem de fora

A morte também faz parte da vida

Riqueza interior não se transforma.


A “morte” não faz fenecer tal vida

Pois somos centelhas do universo

E por mais que ela venha dolorida

A vida é rica e haverá um regresso.


A passagem na morte significa dor

Aparente perda de pessoa querida

O que seria então se não houvesse

Um portal para outro lado da vida.


24

VIDA, INÍCIO, MEIO, FIM!

Fátima Peixoto 30/06/22


Não sabemos quando tudo termina

No início sonhamos com uma vida perfeita, procuramos estudar, trabalhar, acumular bens.

Não temos tempo para saborear os dias, tudo acelerado.

No meio a busca pela felicidade já que foram conquistadas muitas coisas.

Onde será que está a felicidade?

Passamos a vida, sonhando, realizando os projetos em busca da tal felicidade.

Caminhos são traçados,

pensamos que tudo será continuo...

De repente a curva da vida,

nos leva para outro destino,

Muitas vezes o fim,

fim dos planos,

fim dos sonhos,

fim da vida.

Sim, nada é eterno.

Tudo é efêmero!

Cada minuto vivido é valioso!


25

GRATIDÃO

Lúcia Silva – Currais Novos/RN


Acordei com o beijo da felicidade

A Deus, orei agradecida

Por essa oportunidade

Do milagre da vida.


Quero nesse dia curtir

As belezas da natureza

Deixar meu coração sorrir

Com o cantar dos pássaros.


Quero tocar uma flor

Com sua beleza me encantar

Como o beija-flor

Sentir o seu perfume.


Nos braços do vento rodopiar

Na dança da vida

No bailado do amor

Quero para sempre me entregar.


26

A FORÇA DO AMOR

Vilson L Holanda


O bem sempre vence

Sob o comando do amor.

Nada, na vida, me convence

A viver o desamor!


A essência da vida é o amor,

Por ele tudo é regido

E tudo tem o seu sabor;

Por amor tudo é permitido!


Por um ato de amor nascemos,

Vivendo no amor crescemos,

Na força do amor sobrevivemos

E sempre venceremos!


27

CANTO ÀS MÃOS

Joyce Lima Krischke


Benditas mãos que escrevem PAZ no dia-a-dia

Benditas mãos que expressam harmonia

Benditas mãos que juntas semeiam Paz

Louvadas mãos que colhem frutos da Paz

Cantadas mãos que embalam o berço

Piedosas mãos que rezam o terço

Mãos tratadas revestidas de brilhos...

Preciosas mãos dos que abençoam filhos!

Mãos que ofertam pão ao desvalido...

Mãos que acarinham coração ferido...

Belas mãos de bailarina... eu desejei!

Ditosas mãos de professora... que usei!


Releitura de poema da autora – Balneário Camboriú/SC- 2022


28

ENSINAR A PAZ

Judite Krischke Sebastiany – Porto Alegre/RS


Ensinar a paz

É ensinar um outro olhar.

Um olhar que enxerga

Verdadeiramente


O Outro.


Ensinar a paz

É fazer parar, olhar...

Acalmar o coração

Perdoar, reconciliar.


Amar.


Ensinar a paz

É trabalho árduo.

Exige persistência,

Repetição.


Fé e esperança.


29

CONFISSÕES DA AEROMOÇA

Odilon Machado Lourenço

Para Clarissa.


Como se pegasse as mãos da cidade

Deslizava no gelo com leveza e calma

New York rodopiava nos seus olhos de pássaro

Voou as distâncias da terra navegando estrelas

Passeou seus olhares onde os deuses de Atenas tem os olhos fincados no sol

Caminhou entre os ponteiros dos relógios de Londres

E a cada segundo o mundo era seu

Esquiou nas montanhas chilenas voando junto aos condores

Pousou sua sombra nas águas do Sena mergulhando sua aura na memória do tempo

Subiu as escadas das Pirâmides do Sol e da Lua

Sentindo nos pés a força das pedras

Percorreu caminhos de mouros em cidades ibéricas

Seus cabelos ventaram nos confins da Finlândia

Rastos apagaram-se nas fontes de Roma, nas águas do Tejo, nas estradas que ela jamais fora.


30

UM BEIJA-FLOR

Dido Oliveira


Um beija-flor vem logo cedinho

Pra nos dizer que o dia está tão lindo!

O sol brilhando e essa imensidão de luz e mar

Vamos aproveitar

Veja só meu amor, quanta alegria

Nesse dia tão lindo

Que bom pra gente andar e viajar na imaginação

Na vastidão do pensamento aquecido de paixão

E admirar tudo que vem e toca o coração

Toda essa visão

As gaivotas, o beija-flor, o seu sorriso


31

ENCERRAMENTO

GIRASSOL

Lúcia Silva – Currais Novos/RN


Girassol sempre voltado para o sol

Seja manhã ou numa inda tarde de arrebol

De seus raios ele se aquece, se ilumina

Revigora-se nesta luz Divina.


No pé do alpendre foi plantado

A cada dia está mais belo e imponente

Pois com amor e carinho é regado

Para energizar e alegrar nosso ambiente.


Entre girassóis quero sempre estar

Para suas boas vibrações receber

Na luz de sua cor me extasiar

E no seu girar de todo dia renascer.

45 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

תגובות


bottom of page